domingo, 12 de junho de 2011

EXPO DERIVA - TAÍSSA FEITOZA




Quanta coisa deixamos de perceber na cidade e na arquitetura durante a correria do dia-a-dia?
Há tanto tempo elas estão lá e só reparamos quando nos vemos em uma situação de observação, como na Deriva Fotográfica.
E nesse momento o olhar do arquiteto não tem obrigação de ser crítico, nem admirador, somente observador. 
E só assim absorvemos a cidade
como ela é, com suas belezas, seus desgastes, suas histórias.

Câmera Sony DSC - W220 Cyber Shot








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.