sábado, 25 de junho de 2011

PARA O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DE GOIÁS


A professora Arlete Cristina tem a coragem de expor a dura realidade dos trabalhadores da Educação em Goiás.

Lamentável realidade.




Senhor Secretário:
Thiago Peixoto,


Sou professora há 22 e sinto que a Educação de Goiás, em 2011, retrocedeu quase um século.


Digo isso porque vejo o descaso e a irresponsabilidade com que o senhor tem tratado os profissionais da Educação. Isso acontece pelo fato do senhor, talvez, desconhecer a realidade do Ensino Público em Goiás. Quantas escolas goianas tiveram a honra de receber sua visita? 5, 20, 50?
Com as ordens que temos recebido da Secretaria da Educação, sinto-me na época dos jesuítas. Será que retornamos no tempo para que nossas autoridades revejam os erros cometidos e encontrem um rumo para a Educação?



Oferecer educação de qualidade é o que todos nós professores engajados e preocupados com a educação, tentamos fazer, mas com péssimos salários e condições precárias de trabalho com escolas caindo sobre nossas cabeças, é quase impossível. Tentamos fazer o melhor e nem reconhecimento temos.


Tempo para qualificação? Quando? As instituições de ensino oferecem cursos na madrugada? Porque é somente nesse horário que os professores têm tempo para estudar, pois são obrigados a trabalhar em dois ou três turnos para ter um minguado salário.


E para complicar ainda mais a situação, o senhor, grande detentor do poder, resolve ditar as leis de uma mal denominada gestão democrática, impondo aos nossos colegas um suposto curso, cujas atividades postadas sequer eram corrigidas, entrega uma apostila mal feita, poucos dias antes da prova e realiza um processo seletivo com questões mal elaboradas e confusas.


Quando o senhor pensou nesse processo seletivo, porque não procurou uma entidade educacional qualificada e preparada, como a Universidade Federal de Goiás, para a realização do mesmo?


Talvez seja por saber que a UFG exigiria um edital claro e tempo de preparação para os candidatos, não é?


O senhor, num artigo publicado em O Popular diz que um gestor bem preparado faz sim, muita diferença na rede pública. Concordo com o senhor, mas gostaria de alertá-lo de que preparação e qualificação requer tempo e oportunidade, nossos colegas tiveram isso? E apenas uma prova mal elaborada mede a capacidade de um gestor?




E quanto aos prazos dados para todos os trâmites legais de um pleito democrático? O senhor teve quanto tempo para sua campanha enquanto candidato a Deputado? E agora nossos colegas candidatos a gestores das escolas têm menos de uma semana para apresentar suas propostas à comunidade escolar? Quanta incoerência, senhor secretário!!


Por que tudo na educação tem que ser feito de modo atribulado, de imediato? É esse o compromisso de nossas autoridades tão competentes na gestão da Secretaria da Educação?


E os nossos salários, secretário? Será que teremos algum dia o nosso tão almejado piso salarial ou continuaremos, indefinidamente, no “contrapiso” do descaso?


Essas são algumas indagações de uma professora angustiada com os rumos da educação em Goiás.


Tenho orgulho de minha profissão, senhor secretário, e sempre tentei fazer o máximo para a aprendizagem dos meus alunos e tenho, ainda, a esperança de que algum dia, a Secretaria da Educação, tenha como chefe maior alguém empenhado em realmente melhorar a qualidade do ensino, pois acredito no lema: “Só a Educação liberta esta nação!”


Quanto tempo ainda nos resta na prisão da ignorância, descaso e má vontade dos nossos governantes?


Mire-se nos exemplos dos países desenvolvidos, mas tenha bom senso, clareza e objetividade para enxergar os problemas enfrentados pelas nossas escolas.


Não é necessário gastar milhões com uma empresa de consultoria para detectar os problemas enfrentados pela Educação em Goiás, basta reunir um grupo de profissionais que trabalham todos os dias em nossas escolas que eles mostrarão ao senhor o quadro caótico do nosso ensino público e o melhor, senhor secretário, se lhes for dada a oportunidade e condições mínimas de trabalho, conseguirão sanar os problemas detectados em pouco tempo e sem desperdício de dinheiro público.


Pense nisso, senhor Secretário!


Atenciosamente,
Arlete Cristina Pereira

13 comentários:

  1. EU NÃO TENHO MAIS ESPERANÇA NA EDUCAÇÃO.

    ResponderExcluir
  2. Será que a senhora Arlete Cristina não votou em Marconi perilo por duas vezes? 99% dos professores de Goiás achavam Marconi o Deus e Iris Resende o Demônio! Como educadores e formadores de opiniões deveriam ser mais inteligentes na hora de escolher seus representantes, pois são eles os principais responsáveis pelo sucesso de Marconi (Iris Junior com mais defeitos e menos qualidades) e a desgraça de Iris Resende. Quem pariu Mateus...

    ResponderExcluir
  3. Será que o filho do secretário da educação ( algum politico) estuda no estado ...claro que não garanto que não se prejudica um dia se quer com seus estudos... enquanto nossos filhos estão ai ... aprendendo a ficar na rua ... em casa aprendendo a ficar em casa sem ter responsabilidade... e os direitos deles quem vai falar por que os professores tem seus direitos a politica tem os seus...e o direito a educação de qualidade fica onde... cadê as pessoas que diz que nos representaria nos gabinetes desse estado todo ... vergonha ninguem aparece pra tentar resolver... enquanto isso nossos filhos ficam por ai... os eleitores do futuro...so esperando que alguem façam algo por eles. vergonha , descaso, falt de leis...falta de ser etico com as pessoas vergonha , vergonha, vergonha...ESSA GREVE TEM QUE ACABAR...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente eu votei em Marconi ,porém não cometerei mais essa atrocidade.Temos que estar alerta aos políticos que só prometem,esses são os piores dos piores.Em Goiás estamos sem opção,pois só vemos políticos envolvidos em falcatruas e corrupções.(Caso Carlinhos Cachoeira e outros) que só nos envergonham ser goianos.

      Excluir
    2. Eu me decepcionei tanto com os políticos que nas proximas eleições pretendo anular meu voto.Eles não merecem ter nosso voto e nem confiar em sua "propostas" que são tão falsas quanto sua atitudes no plenário ( quando estão no poder).Na escola que trabalho somos quase 60 funcionários todos tem a mesma opinião que a minha a respeito de votar nulo nas eleições proximas.

      Excluir
    3. De que vale sacrificar e estudar para qualquer área da educação, se nosso voto da poder a um governador que nomeia um profissional que nada tem a ver com educação para ser o SECRETARIO DE EDUCAÇAO,posso afirmar com todas as letras que ele (SECRETÁRIO) jamais sequer conversou com um professor, seja lá para dizer bom dia ou boa tarde, muito menos para saber a quantas anda a educação.

      Excluir
    4. Democracia é esta em que vivemos, se até a opinião do eleitor precisa ser examinada pela censura? Será que estou mentindo?

      Excluir
  4. Sou pai de 3 filhos, nao sou educador e nem pretendo ser. Meus filhos estudam em colegio estadual. Eles devem aprender a lutar pro seus diretios, sim. E entendo que se os professores nao sao valorizados, realmente, eles nao irao dar o maximo de si. O professores tem que lutar pelos seus direitos, nos, pais, devemos apoia-los pois eles e n[os somos o lado mais fraco. Tiago, destruiu a educacao. Ah, os meus filhos nao ficam na rua, eu coloquei eles pra estudar em casa, porque n[os devemos fazer a nossa parte tamb[em.

    ResponderExcluir
  5. Um professor de Bom Jardim de Goiásquinta-feira, 29 março, 2012

    Adianta votar ou não? Não votei no Marconi, porém votei no Thiago Peixoto acreditando que ele iria defender a Educação de Goiás. Porque no mandato anterior havia vários textos criticando o modelo educacional implantado em nosso estado e hoje ele está fazendo ainda pior!!! Acredito que o Marconi utilizou de sua estratégia política, para tirar a pedra do seu sapato.

    ResponderExcluir
  6. Senhor Thiago Peixoto, volte para a sua cadeira de deputado. O Senhor já está muito queimado. Prá que birra? Os Educadores, pais, alunos, enfim a comunidade em geral não querem o senhor como Secretário da Educação. Será que o senhor poderia administrar a segurança pública de Goiás, ou as forças armadas??????? Claro que não. Então como o senhor pode dirigir a educação de Goiás? O senhor nunca foi professor. Não sentiu na pele os problemas, dificuldades a até mesmo as alegrias de estar em uma sala de aula. Pense bem, o senhor foi o deputado eleito com mais votos em Goiás. Abra o olho, estão tentando acabar com sua carreira, igual fizeram com o Barbosa Neto. Nós queremos um educador na educação. Está correndo um abaixo assinado em todo o estado de Goiás, exigindo a sua exoneração. Posso afirmar que já tem um número considerável de assinaturas. Não perca tempo, os educadores não querem mais saber do senhor. Acorda enquanto é tempo. Um comandante não ganha a guerra, se não tem os soldados do seu lado. Quando se fala em Thiago Peixoto para professores, alunos e comunidade, a imagem que se tem é de um ditador, perdido e que poderá ser lembrado como a encarnação de Hitler. Pense... aja com rapidez, talvez ainda haja tempo para se salvar.

    ResponderExcluir
  7. O problema que está acontecendo entre governo e professores é intencional. Se a educação vai mal, ponto pra ele. Com o analfabetismo em Goiás, é eleição garantida varias vezes.

    ResponderExcluir
  8. Maria
    Essa professora foi muito feliz em sua carta. Mas gostei mesmo foi desse comentário de FORA THIAGO. Realmente ele é um intruso na educação. Que pena que votamos nele para deputado e não para secretário.
    Será uma pena, pois nunca mais ganhará nossos votos.
    E olha que somos muitos...

    ResponderExcluir
  9. É indignante o que está acontecendo com a Educação no Estado de Goiás. Os professores estão todos revoltados com o mandato de Marconi Perillo, agora está assim: Professor ministra suas aulas, os alunos não tem nenhum interesse , aí tiram notas baixas e o professor é obrigado a elaborar outra prova substitutiva para continuar não obtendo nenhum resultado, pois cada dia que passa o desinteresse está total, só ficam conversando, dando má resposta ao professor e nem abrem o caderno para copiar, e muito menos prestam atenção no que o professor fala na frente da classe. Sem contar que se chamarmos muito a atenção deles corremos até risco de vida.
    Mas até aí engolimos. Agora vieram com mais uma notícia . Chegaram com um projeto de que o aluno levará a prova para casa um dia antes e estudará ( “colará” ) e depois devolverão no outro dia para o professor e ele aplicará a mesma prova ao aluno .Se de tudo o aluno não passar ele ainda terá outra chance no final do ano . Os palhaços dos professores que “ ganham muito bem “ terão que ministrar reforço, aplicar novas provas e fazer o impossível para passá-los. Ou ,seja, vamos largar de sermos bobos e já damos notas para esses alunos mesmos . Esses serão os futuros médicos , advogados, professores , etc. de nossos filhos . Aí não adianta mais reclamar.
    Existem alguns alunos que chegam ao ensino médio analfabetos .
    Por isso o Brasil não vai pra frente e continua sendo um país de 3 mundo.

    ResponderExcluir

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.