segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Ausências Brasil.




Ausências Brasil” estréia no Arquivo Público do Estado de São Paulo. A exposição retrata famílias que tiveram parentes mortos pela repressão no período da ditadura militar.

Desde o dia  7 de dezembro, o Arquivo Público do Estado de São Paulo recebe em seu foyer a exposição Ausências Brasil, do fotógrafo argentino Gustavo Germano. Em destaque, estão as fotos de várias famílias brasileiras com uma história em comum: a perda de um parente morto pela repressão, no período entre 1964 e 1985.

"A exposição consiste de conjuntos de duas fotos. Uma foto é antiga e apresenta a família completa. A outra é atual, com as mesmas pessoas - exceto o morto ou desaparecido. A justaposição das duas imagens concretiza o vazio e a dor deixados por uma morte violenta. "

FONTE: www.arquivoestado.sp.gov.br



A primeira foto que ilustra o post é de 1967, Suzana Keniger Lisboa, Milke Waldemar Keniger e Luiz Eurico Tejera Lisboa.  A segunda em 2012, a foto é repetida sem Luiz Eurico.

Para quem tem uma história tão violenta, injusta e triste uma exposição como esta evidencia a ausência de muitos. A história da ditadura no Brasil é uma história ainda sombria que alguns insistem em esconder e outros em esquecer. É preciso lembrar do período da ditadura militar, do golpe que a democracia sofreu, da liberdade de expressão castrada e violentada, da prisão de tantos, do desaparecimento e morte de outros que nem sabemos quantos são em seu número exato.

É preciso lembrar para não esquecermos.

Bela exposição e iniciativa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.