sexta-feira, 4 de março de 2016

Obras de Severiano Porto serão tombadas no Amazonas

Os prédios do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), do Campus da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), da sede da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), também uma pousada turística do município de Silves, da sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e do Fórum Henoch Reis, serão patrimônio histórico do Amazonas. O tombamento será possível graças ao Projeto de Lei (PL) 124/2015, que reconhece o interesse arquitetônico, histórico e cultural das edificações de autoria do arquiteto e urbanista Severiano Mário Porto. A proposta foi aprovada em dezembro pela Assembleia Legislativa do Amazonas. A matéria aguarda a sanção do governador do Estado, José Melo de Oliveira.

“As obras do Severiano são marcantes não só para a cidade de Manaus, mas para o Estado do Amazonas. A reunião da floresta com o urbano, característica das obras deste grande arquiteto, não pode ser destruída e precisa ser preservada. Com a aprovação do Projeto de Lei o legado de Severiano passa a ser imortal”, disse o deputado Bosco Saraiva, presidente da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Amazonas, autor da proposta. O parlamentar ressalta que o tombamento das obras de Severiano contribuirá na preservação do “legado de um grande arquiteto que trabalhou para o desenvolvimento da nossa cidade, sem esquecer da questão ambiental”.

Com o projeto aprovado, todas as obras do arquiteto Severiano Mário Porto, tanto na capital quanto no interior, passam a ser preservadas em sua construção original. Em virtude do tombamento, fica proibida a demolição ou descaracterização arquitetônica das edificações. Em caso de necessidade de intervenções físicas no imóvel tombado será obrigatória a aprovação do órgão competente do município.

Atualmente, aos 85 anos, Severiano mora no Rio de Janeiro. Conhecido como “arquiteto da Amazônia”, onde morou e trabalhou por 36 anos, ele foi responsável por grandes projetos nas décadas de 1960 e 1970. Desde aquela época, Severiano já empregava conceitos de arquitetura sustentável mesmo antes desta concepção ganhar popularidade, considerando as necessidades e circunstâncias da região.

 Via FNA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.