segunda-feira, 4 de abril de 2016

Goiânia: cidade sustentável?, por Lais Rincon.

 Marcelo – BID, Áureo , Lais Rincon – Observatório Social de Gyn, Márcia Casseb – ICES, Nelcivone de Melo – AMMA, Flávio Yuaca – Prefeitura de Goiânia, Natália


Nodia 21 de março de 2016, aconteceu, em Brasília, o Workshop de Monitoramento Cidadão promovido pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) juntamente com a Caixa Econômica Federal.

O workshop reuniu diversas entidades da sociedade civil organizada além de prefeituras de várias cidades do Brasil que participam do programa ICES, Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis da América Latina. Entre as entidades, estavam presentes representantes da prefeitura de Goiânia, da Amma e do Observatório Social de Goiânia.

O Monitoramento Cidadão é uma das etapas do programa ICES que consiste em analisar dados, identificar temas prioritários e propor ações que contribuam para o desenvolvimento sustentável de cidades médias e emergentes da América Latina. Goiânia foi a cidade pioneira no Brasil, sendo a primeira em que foi iniciado o programa, em 2011. Já foi elaborado um Plano de ação com todas as informações levantadas pela ICES, inclusive com propostas do que deve ser feito para que Goiânia se desenvolva de forma mais sustentável. O ideal era que os cidadãos de Goiânia acompanhassem todo esse processo para fiscalizar a prefeitura e os órgãos responsáveis quanto cumprimento do Plano de Ação, mas como nem todos têm interesse ou disponibilidade para isso, o Observatório Social de Goiânia entra com o papel de fazer este monitoramento.

O Observatório Social é um grupo de voluntários sem fins lucrativos e apartidário com o objetivo de contribuir para a melhoria da gestão pública em favor da transparência e da qualidade da aplicação dos recursos públicos. Além disso, o Observatório Social de Goiânia tem participado do CODESE, o Conselho de Desenvolvimento Sustentável e Estratégico de Goiânia, que tem como objetivo planejar, formular e fazer executar as políticas de desenvolvimento da cidade para que Goiânia em seu aniversário de 100 anos, ou seja, em 2033, esteja entre as 10 cidades brasileiras com melhor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Hoje nós estamos da 45ª colocação.

A participação dessas organizações da sociedade civil junto à administração pública é muito importante para pressionar nossos representantes políticos a pensarem suas atitudes realmente voltadas para o bem comum. Mas o mais importante é que isso seja feito sempre de forma transparente, ou seja, que as informações sejam divulgadas e estejam ao alcance da população em geral, onde cada um, enfim, poderá ter uma visão mais crítica e quem sabe até ser mais participativo e atuar de maneira ativa como cidadão.
_________________________________________________________________________________





Lais Alves Rincon, graduada em Arquitetura e Urbanismo pela UEG, em 2010, e pós-graduada em Construção Sustentável pelo IPOG, em 2012. Apaixonada por Goiânia e pelo tema sustentabilidade, busca a difusão do conceito e da prática do desenvolvimento sustentável na cidade. Participa de vários grupos que partilham desse mesmo ideal como o Observatório Social de Goiânia, o CODESE (Conselho de Desenvolvimento Sustentável e Estratégico de Goiânia), Sociedade Resíduo Zero e o Bike Anjo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.