quarta-feira, 8 de junho de 2016

Nova operação urbana consorciada em BH com foco em habitação

A Prefeitura de Belo Horizonte, em Minas Gerais, apresentou na última semana ao Comitê Municipal de Política Urbana (Compur), após realizar diversas audiências públicas, a versão final do Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) e do plano urbanístico da Operação Urbana Consorciada Antônio Carlos/Pedro I + Leste/Oeste (OUC Aclo), que prevê a criação de 5.211 moradias sociais na cidade em 20 anos.

O Plano prevê a criação de unidades habitacionais de interesse social, além do adensamento de empreendimentos e novas ocupações para equipamentos públicos.

O projeto, apresentado pela primeira vez em 2013 com o nome de Nova BH, objetiva promover um adensamento que incentive a habitação social, além da requalificação de áreas urbanas, cirando novas formas de ocupação que aproxime áreas comerciais e residenciais.

A operação urbana, que deverá arrecadar R$ 3,1 bilhões ao longo dos 20 anos de vigência, sendo de 20% a 26% destinado para habitação social, contempla dois grandes eixos estruturantes: no sentido Norte-Sul, pelo eixo das avenidas Presidente Antônio Carlos e Dom Pedro I; e no sentido Leste-Oeste, pelo eixo formado pelas avenidas Tereza Cristina, do Contorno e dos Andradas.

Entre as medidas garantir a construção de unidades habitacionais para a faixa de renda mais baixa estão incentivos para apartamentos com apenas um banheiro e uma vaga de garagem. Empreendimentos neste perfil ganharão um ponto a mais no Coeficiente de Aproveitamento (CA) do terreno, o que permitirá que tenham área construída maiores. Confira!

Via Infraestrutura Urbana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.