sexta-feira, 8 de julho de 2016

Berlim e a lei que proíbe o aluguel/hospedagem a curto prazo

Se você tem viagem programada para Berlim e ainda não reservou hospedagem, melhor procurar um hotel. Com o Airbnb será muito mais difícil. Desde o último domingo, a capital alemã começou a fechar o cerco contra os proprietários que disponibilizam apartamentos para visitantes passarem sua estadia. Em 2014, foi aprovada uma lei proibindo o aluguel de curto prazo (menos de um ano) para imóveis inteiros e 1º de maio de 2016 marcava o fim do período para adaptação de quem tinha essa prática. Agora, quem desobedecer a lei está sujeito a uma multa de € 100 mil.

A lei até prevê brechas para que alguns imóveis possam ser alugados por curto prazo, mas a maioria dos proprietários – incluindo 4,3 mil que ofertavam apartamentos inteiros no Airbnb e retiraram os anúncios entre fevereiro e março, uma queda de 40% nas ofertas do site para hospedagem em Berlim – está proibida de fazer esse tipo de locação. Mesmo aqueles que se candidatarem e conseguirem autorização para praticar estadias mais curtas não poderão cobrar valores mais altos que a média de aluguéis no entorno.

Não é a primeira medida das autoridades berlinenses para aumentar o número de imóveis disponíveis para quem está em busca de um lugar para morar e evitar que os aluguéis subam demasiadamente. Por exemplo, já está em vigor um teto de 10% para o aumento dos aluguéis. Os resultados são controversos. Os preços, que haviam caído até outubro do ano passado, voltaram a subir nos meses seguintes, segundo relatório da gerenciadora de propriedades CBRE. Entre 2009 e 2014, os preços das locações na capital alemã tiveram aproximadamente 56% de aumento. Mais detalhes, Confira!

Via Outra Cidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.