quinta-feira, 14 de julho de 2016

Madrugada - Artista fotografa e depois transforma ilustrações





A fotografia pode ser uma grande aliada das madrugadas insanas, que rendem uma infinidade de histórias, cenários sinistros e personagens inesquecíveis. Sentindo o quanto esse campo é promissor, o artista Sosek usou uma câmera para registrar moradores de rua durante as altas horas do relógio, para depois fundir os registros com suas artes, resultando em obras únicas e inspiradoras.

O paulistano Carlos Eduardo Doy está enraizado e eternizado na pixação e no graffiti como Sosek (https://www.facebook.com/pifone). Em sua pesquisa mais recente, focou seus olhar nas pessoas em situação de rua, elemento que constantemente revela o contraste social das grandes cidades. Durante as andanças pela madrugada e a busca por muros para pintar com os amigos nasceu o projeto “Interno”.

A série reúne suas principais referências unidas ao sumi-ê, uma técnica japonesa – cultura herdada da família paterna – que consiste na mistura de desenho com elementos da caligrafia. Um fato curioso é que as pinturas foram feitas com um squeezer, ferramenta que foi originalmente criada para que os artistas escrevessem os nomes no meio urbano.

Recentemente, as obras foram expostas na galeria Pico, em São Paulo, incluindo um vídeo-projeção de 3 minutos produzido por Sosek e Mouco Fya, no qual ele compartilha recortes do universo de moradores de rua. “Trago uma sensação de desconforto em relação a nossa cidade e o lado desvalido de nossa existência”, conta o artista. Vale o Clique!

Via Hypeness

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.