sexta-feira, 5 de agosto de 2016

12 princípios para cidades mais habitáveis

A migração do campo para a cidade promovida pelo governo chinês nos últimos anos é parte de um plano maior que pretende deslocar cerca de 250 milhões de pessoas no país. Embora os números estimados sugiram a dimensão do plano,  ainda sim é difícil imaginar o que ele representa.

Apesar disso, se forem tomadas como referência as estatísticas de população urbana da ONU, publicadas em 2010, é possível reconhecer que 250 milhões de pessoas equivalem à população de Boston, Chicago, Filadélfia, Los Angeles, Nova Iorque, Miami e Seattle, apenas nos Estados Unidos.

A estas cidades pode-se somar, ainda, os habitantes de outras 19 cidades de outros continentes, entre as quais encontram-se  Paris, Londres, Roma, Milão, Berlin, Atenas, Cidade do México, Buenos Aires, Manila, Tóquio e São Paulo, para nomear algumas ( é possível acessar a lista completa aqui).

O impacto nas cidades chinesas diante do aumento populacional é um ponto que se junta a outros desafios que as autoridades pretendem abordar, como a contaminação atmosférica, a habitabilidade e os efeitos das mudanças climáticas.

É por este motivo que o Banco de Desenvolvimento da China, em colaboração com a Fundação de Energia da China, elaborou 12 princípios que buscam guiar o planejamento das cidades chinesas, orientando o desenho urbano em direção à sustentabilidade, classificados em "Forma Urbana", "Transporte", "Energia" e "Recursos". Além disso, a ideia é que estes conselhos sejam uma ferramenta para as autoridades de outras partes do mundo.

Para conferir os princípios e desafios, Vale o Clique!

Via ArchDaily

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.