quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Aeroporto Internacional de Bangcoc e vãos de até 126m







Gigantescas estruturas em aço do Aeroporto Internacional de Bangcoc, na Tailândia, impressionam e parecem flutuar ao vencerem vãos de até 126 m.

Decifrar com precisão o design do Aeroporto Internacional de Suvarnabhumi, em Bangcoc, na Tailândia, é um desafio tão grande quanto a tarefa de entender a arquitetura multifacetada da cidade, que mistura elementos do passado, como suntuosos templos budistas banhados a ouro, a modernos arranha-céus urbanos; e no aeroporto projetado por um consórcio liderado pela JAHN Architecture em 1995, esta ambiguidade é evidente. Tal como a cidade, a construção idealizada a partir de gigantescos elementos em aço faz, em duas frentes, alusão às grandiosas edificações e, também, às embarcações que atravessam os canais, parecendo flutuar a partir de suas estruturas em balanço.

Segundo o arquiteto Helmut Jahn, do escritório que assina o projeto, a estrutura da cobertura do Suvarnabhumi mede 567 x 210 m e é composta – em grande escala – por placas de aço soldadas, que formam oito vigas supertruss (supertreliçadas) e vencem um vão central de 126 m na face norte do Aeroporto. Nos dois extremos do complexo, 16 supercolunas – também em aço – auxiliam na sustentação das estruturas metálicas da cobertura – cada uma delas com 42 m de balanço.

Já nos terminais de passageiros, o aço está presente nos cabeamentos e estruturas que sustentam as superfícies em vidro. A escolha dos materiais foi motivada pela leveza que conferem às fachadas e, ainda, por questões sustentáveis, como garantir um melhor aproveitamento da iluminação natural e reduzir o consumo energético do Aeroporto. "Com o aço, minimizamos os elementos de apoio, possibilitando aumentar a transparência e garantindo, inclusive, a presença de uma iluminação natural constante", conta Carl D’Silva, vice-presidente e arquiteto da JAHN Architecture.

Mais detalhes, Vale o Clique!

Via CBCA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.