sábado, 13 de agosto de 2016

RMIT University desenvolve tijolo feito com bitucas de cigarro

O lixo de alguns é o material construtivo de outros. Pesquisadores do Royal Melbourne Institute of Technology (RMIT University)  desenvolveram uma técnica para fazer tijolos a partir de uma dos descartes mais comuns do mundo: bitucas de cigarro. Liderada pelo Dr. Abbas Mohajerani, a equipe descobriu que produzir tijolos de argila com apenas 1 porcento de sua massa oriunda de bitucas de cigarro poderia equilibrar a poluição causada pela produção anual de cigarros e, ao mesmo tempo,  produzir tijolos mais leves e eficientes.

Lidar com o descarte de cigarros é um dos maiores dilemas ambientais do mundo: bilhões de cigarros são queimados anualmente, resultando em milhões de toneladas de lixo tóxico -  contendo metais como arsênio, cromo, níquel e cádmio - liberados no solo e cursos fluviais.

Segundo o Dr. Mohajerani, "cerca de 6 trilhões de cigarros são produzidos todos os anos, gerando 1,2 milhões de toneladas de bitucas de cigarro. Estas cifras devem aumentar em mais de 50% até 2025, sobretudo devido ao aumento da população mundial."

A solução? Misturar as bitucas de cigarro na argila dos tijolos antes da queima. Além de benefícios ambientais, a equipe de  Mohajerani  descobriu que acrescentar bitucas reduz o consumo de energia necessário para o processo de queima em até 58%. Os tijolos prontos mantém as mesmas propriedades estruturais dos tijolos normais, mas são mais leves e tê melhores características de isolamento. O processo de queima também mantém os poluentes dentro dos tijolos, impedindo  que se espalhem pelo meio ambiente.

Os tijolos prontos mantém as mesmas propriedades estruturais dos tijolos normais, mas são mais leves e tê melhores características de isolamento. O processo de queima também mantém os poluentes dentro dos tijolos, impedindo  que se espalhem pelo meio ambiente.

Via ArchDaily

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.