segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Arquitetura e Pré-Fabricação



A racionalização da construção civil não é nenhuma novidade para a arquitetura moderna. Com o aperfeiçoamento das técnicas industriais, principalmente após a Segunda Guerra Mundial, o sistema de pré-fabricados tomou força e, apesar de um cego conservadorismo no Brasil, deve ser enxergado como uma solução e alternativa para a arquitetura no futuro. Rapidez na construção, praticidade e obra limpa, com menor impacto possível ao meio ambiente confirmam seu potencial ecológico.

A destruição causada pela guerra gerou enorme demanda não apenas por habitações, mas também pela reconstrução de escolas, hospitais, indústrias, pontes, enfim, cicatrizes em feridas urbanas imensas. Assim surgiu a necessidade de racionalizar o processo de produção e montagem de peças na construção civil.

No Brasil, esses métodos de pré-fabricação foram popularizados, sobretudo, em casas de madeira na região Sul do país. Solução para aqueles que buscavam construção rápida, leve, seca e econômica, as casas pré-fabricadas terminaram por se tornar sinônimo de fragilidade para brasileiros habituados ao tradicional tijolo, associado à robustez das edificações.

Mais detalhes, Vale o Clique!



Via Casa Vogue

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.