terça-feira, 1 de novembro de 2016

Artista português faz grafites saltarem dos muros

Sergio Odeith, também conhecido como Odeith, segurou a primeira lata de spray quando ainda era criança, na década de 80. Nos anos 90, quando o graffiti começou a disseminar-se pelas ruas de Portugal, que o Odeith teve seu primeiro contato com este movimento artístico. Suas primeiras experiências foram “rabiscar” pelos muros e trilhos de trem pelos quais passava. Foi aí que sua paixão por desenhar encontrou um novo propósito e começou a se desenvolver. Pouco tempo depois, surgiu a oportunidade de pintar murais em grande escala na cidade de Damaia, em Portugal, sua terra natal, bem como a cidade de Carcavelos e muitas outras vizinhanças como Cova da Moura, 6 de Maio e Santa Filomena.

Odeith mostrou um interesse especial pela perspectiva e sombreamento, em um estilo obscuro, nomeado por ele como “sombre 3D”, no qual as composições, paisagens ou retratos, mensagens ou homenagens, destacaram-se pelo realismo e técnica utilizados.

Em 2005, o artista ficou internacionalmente reconhecido por suas impressionantes incursões no campo da arte anamórfica, ganhando ainda mais destaque pelas composições em perspectiva, pintadas em diferentes superfícies, como cantos em 90º, ou mesmo enormes pinturas que vão do chão ao teto, criando um efeito de ilusão de ótica. 3 anos depois, resolveu fechar o estúdio de tatuagem que havia aberto em 1999, mudando-se para Londres.

Atualmente, já de volta a Lisboa, Odeith assumiu a pintura como sua atividade principal, criando murais em grande escala para empresas nacionais e multinacionais como Shell, Coca-Cola, Samsung, e alguns órgãos públicos portugueses como a Câmara Municipal de Lisboa e a Câmara Municipal de Oeiras, dentre outras.

Mais detalhes, Vale o Clique!

Via Ideia Quente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.