sábado, 13 de maio de 2017

Pandas ganham casa de 22 milhões de dólares

Dois pandas chineses irão ganhar uma nova casa no Jardim Zoológico de Copenhague, por nada menos do que 22 milhões de dólares - cerca de 690 milhões de reais. Com 1.250 m² de espaço interno e outros 1.200 m² de espaço ao ar livre, o projeto criado por três escritórios dinamarqueses, BIG, MOE e Schønherr, é inspirado no ying yang  é deve ficar pronta em 2018.

Construído ao lado do já premiado "Elephant House", área que abriga os Elefantes do zoológico, criado pela Foster + Partners, a já batizada de "Panda House" terá forma circular e será dividida em dois compartimentos para que o macho e a fêmea fiquem separados - o que deve favorecer o acasalamento, uma vez que os casais de panda não devem ver, ouvir ou mesmo cheirar uns aos outros na maioria do ano.

Ainda pensando nas condições ideais para o acasalamento, além de uma vida tranquila aos animais, os recintos criados terão duas opções de vegetação: uma floresta mais fria, tomada por uma "densa de névoa" e outra mais leve, cercada de bambu. Assim, os pandas podem continuar migrando de uma para outra de acordo com a estação e a temperatura - da mesma forma que eles fazem nas montanhas da China ocidental.

Todo este cuidado com os animais não deixou os visitantes de lado, pensando na "experiência humana" os designers ainda criaram dois níveis separados que oferece uma ampla perspectivas dos animais e de seu habitat, e permite uma verdadeira sensação de imersão.As barreiras e os espaços criados são estrategicamente integrados na paisagem, dando aos convidados e aos pandas uma impressão de que se está cercado por natureza por todos os lados, sem nenhuma distração.

Por fim, ao levantar a terra em ambas as extremidades do recinto, masculino e feminino, a forma yin e yang é criada, incluindo passarelas onduladas à paisagem do parque e proporcionando também uma visão única sobre o recinto e até mesmo do trabalho dos técnicos do zoológico em ação.

"O habitat é formado como um símbolo gigante de yin e yang, duas metades: o macho e a fêmea que se completam para formar um todo circular. As linhas curvas criam a separação necessária entre ele e ela - assim como entre eles e nós", resume Steffen Stræde, Diretor do Zoológico de Copenhague, orgulhoso de seu mais novo projeto.

Via Casa Vogue



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.