sábado, 14 de abril de 2018

Aumentar áreas permeáveis na cidade é medida de segurança pública

Diante da situação alarmante vivida pelos goianienses na tarde da última quinta, dia 5, com a intensa chuva que caiu sobre a capital goiana, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás (CAU/GO) lança um alerta: aumentar as áreas permeáveis na cidade é uma medida de segurança pública.

“O grande volume da precipitação, embora incomum, deve se tornar mais frequente nos próximos anos, segundo as tendências apontadas pela Meteorologia”, afirma Isabel Barêa Pastore, arquiteta e urbanista e gerente geral do CAU/GO. “É primordial que a ocupação urbana seja ordenada de maneira a preparar a cidade para esse tipo de acontecimento.”

Como se trata de um período crucial para o ordenamento territorial de Goiânia, com o processo de revisão do Plano Diretor da cidade, é urgente que o poder público defina políticas que visem reduzir a sobrecarga do escoamento pluvial sobre as vias públicas, como também sobre os córregos Botafogo e Capim Puba – o problema se torna visível nas áreas da Marginal Botafogo e do Lago das Rosas, por exemplo.

Da mesma maneira, é preciso com urgência dirigir atenção para os setores Marista e Oeste, que vêm sofrendo intensa impermeabilização, o que sobrecarrega as vias da região e a bacia do córrego Buriti – notadamente nas avenidas 87, Cora Coralina e Assis Chateaubriand, entre outras. Tal situação agrava o problema de drenagem urbana em Goiânia, que requer com celeridade o estabelecimento de um Plano de Drenagem.

O CAU/GO aproveita a oportunidade para reforçar que a Marginal Botafogo deveria ser completamente interditada, conforme solicitação da vereadora Sabrina Garcez, até a solução de todos os problemas que a vem assolando – incluindo sérios riscos de desmoronamento – de maneira a igualmente garantir a segurança de todos os cidadãos.

Via CAU-GO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.