sábado, 2 de junho de 2018

Governo quer disseminar tecnologia BIM em todo o país

O Governo Federal lançou a Estratégia Nacional para Disseminação do BIM, por meio do Decreto 9.377, de 17 de maio. Essa é a sigla para Building Information Modeling, ou Modelagem da Informação da Construção. Trata-se de um método de trabalho que reúne, por meio de ferramentas digitais, todas as informações que dizem respeito à construção de um edifício. Com a estratégia, o governo federal pretende que, até 2028, os custos da construção sejam reduzidos em 9,7%, a produtividade cresça 10% e, pelo menos, 50% das empresas do setor adotem o BIM como ferramenta de trabalho. Outro ganho esperado é um acréscimo de aproximadamente 30% no PIB setorial. Trata-se de uma necessidade urgente: pesquisa do Sinduscon-SP revelou que 2/3 das empresas gastavam mais do que o custo estimado e 2/3 estavam fora do prazo de entrega.

São objetivos da Estratégia: difundir o BIM e seus benefícios; coordenar a estruturação do setor público para sua adoção; criar condições favoráveis para o investimento, público e privado em BIM; estimular a capacitação na sua utilização; propor atos normativos que estabeleçam parâmetros para as compras e as contratações públicas com seu uso; desenvolver normas técnicas, guias e protocolos específicos para sua adoção; desenvolver a Plataforma e a Biblioteca Nacional BIM; estimular o desenvolvimento e aplicação de novas tecnologias a ela relacionadas; e incentivar a concorrência no mercado por meio de padrões neutros de interoperabilidade BIM.

A ideia é que o Governo Federal, como grande comprador de serviços de Arquitetura e Engenharia, tem a capacidade de estimular e disseminar o uso do BIM por todo o mercado. O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dyogo Oliveira, afirma que o banco tem interesse em aumentar o fomento a projetos do setor. “As portas estão abertas e o caixa está cheio”, disse, ao anunciar mais rapidez no processo de concessão de crédito e a estruturação de uma área específica para análise de projetos de infraestrutura dentro do banco.

Outro estímulo para a adoção da nova tecnologia no Brasil é o I Prêmio BIM da Administração Pública. A Frente Parlamentar do BIM, com o apoio da Câmara dos Deputados, vai premiar projetistas e órgãos da administração pública que tenham desenvolvido projetos em BIM e instituições de ensino superior que tenham implantado disciplinas focadas na temática BIM. As inscrições vão até 15 de setembro e podem ser feitas neste link.

CAU/BR OFERECE DESCONTO PARA AQUISIÇÃO DO BIM
O CAU/BR e a Graphisoft assinaram acordo de parceria que concede descontos especiais para aquisição da tecnologia BIM para pequenos escritórios. Arquitetos e urbanistas registrados no CAU têm desconto de 35% na assinatura anual do programa ArchiCAD 20 Solo. Para profissionais com menos de cinco anos de formado, o desconto é ainda maior: 40%. E mais: junto com a assinatura, os profissionais ainda ganham um curso sobre utilização do BIM, com 70 aulas em vídeo e certificação oficial do fabricante. Veja aqui.

Arquitetos e urbanistas também têm desconto de 16,9% na compra da licença do SketchUp Pro, programa BIM (Building Information Modeling) para modelagem 3D. De R$ 3.490 a permissão de uso pode ser adquirida por R$ 2.900. Os profissionais com até cinco anos de formados têm um desconto ainda maior, de 22,6%, e pagam R$ 2.700 pelo software. A licença é perpétua e inclui ainda o acesso gratuito, por três meses, ao curso online básico de SketchUp e a suporte técnico direto por telefone e e-mail, além do recebimento gratuito de atualizações do programa por um ano. Arquitetos e urbanistas têm ainda 15% de desconto em qualquer outro produto da loja online da Totalcad, empresa proprietária da aplicação. Saiba mais aqui.

O CAU/BR também publicou uma lista com informações importantes para arquitetos e urbanistas que pretendem trabalhar com a plataforma, como aumento da eficiência, valorização da profissão e exigências dos contratantes – tiradas de uma palestra ministrada pelo arquiteto e urbanista Luiz Augusto Contier, conselheiro suplente do CAU/BR e um dos pioneiros no uso da tecnologia no Brasil. Para ler na íntegra, Vale o Clique!

Via ArchDaily

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.