segunda-feira, 11 de junho de 2018

SOM divulga torres a construir sobre fundações de edifício de Calatrava em Chicago

O Chicago Tribune divulgou imagens dos arranha-céus projetados pela SOM para o antigo local do Chicago Spire. As duas torres, medindo 305 e 259 metros, deverão conter 120 mil metros quadrados de área útil, incluindo 850 unidades residenciais.

A proposta sinaliza um novo sopro de vida para a 400 N Lake Shore Drive, onde um buraco da fundação, de quase 25 metros de profundidade, serve como único lembrete do anteriormente planejado Chicago Spire, projeto de Santiago Calatrava de 600 metros de altura.

Intitulado “400 Lake Shore Drive”, o projeto da SOM apresenta duas torres residenciais no topo de uma base com quatro níveis, contendo 750 vagas de estacionamento, salas de reuniões, salão de festas e terraços ao ar livre. A mais alta das duas torres, localizada na margem sul do local, no rio Chicago, deve conter 300 residências e um hotel de luxo com 175 quartos. Enquanto isso, a torre irmã, construída a 45 metros ao norte, conterá 550 apartamentos.

O acordo entre a cidade e a incorporadora Related Middlewest também incluirá a construção do DuSable Park, um novo espaço público em uma península a leste do projeto da SOM, que está sendo considerado desde a década de 1980.

Se concluído, o projeto da SOM finalmente marcaria o fim da longa saga do terreno do Chicago Spire. O buraco que existe atualmente na 400 N Lake Shore Drive é tudo o que resta do Chicago Spire projetado por Santiago Calatrava, uma torre espiral de 610 metros que teria sido o prédio mais alto dos Estados Unidos. Sua construção começou em 2007, mas depois se tornou uma grande vítima da crise financeira, fazendo com que a proposta ficasse no limbo por anos antes de ser finalmente desmantelada em 2014.

O projeto proposto foi desenhado por David Childs, da SOM, o principal arquiteto do 1 World Trade Center. Ele ficaria muito perto do local da Torre Chicago Tribune que, se construída, se tornará o segundo arranha-céu mais alto da cidade. Mais detalhes, Vale o Clique!

Via ArchDaily


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.