segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Painel cimentício 3D pode ser solução para proteger casas contra desastres naturais

A fabricante de materiais Re-Structure Group começou a usar um novo painel sanduíche cimentício nos Estados Unidos para ajudar a proteger as casas durante desastres naturais. De acordo com a CNBC, o material já vem sendo usado em outras partes do mundo, mas agora está sendo testado nos Estados Unidos. Projetados para produção em massa, os painéis são à prova de fogo, resistentes a abalos sísmicos - incluindo qualquer terremoto registrado na história da humanidade - e são resistentes a furacões. O material é fabricado como um sistema de construção sustentável e resiliente que visa reformular o mercado imobiliário norte-americano.

Re-Structure Group está fabricando o painel estrutural 3D com espuma retardadora de fogo entre duas faces de malha em arame. Estas duas faces são conectadas com fios de reforço que passam pela espuma e o painel é envolvido em concreto. Ken Calligar, CEO da RSG 3-D, disse: "Os estudiosos afirmarão que 77% das casas construídas nos Estados Unidos estão sob risco extremo de algum tipo de desastre natural. Na Costa Leste existem furacões, no Centro-Oeste tornados, as montanhas rochosas e o Oeste convivem com incêndios e eventos sísmicos. Nosso sistema é resistente a tudo isso."

Como o relatório menciona, o ano passado foi o mais custoso em desastres climáticos nos EUA, com mais de US $ 300 bilhões gastos em indenizações, de acordo com a NOAA. Embora o material não seja novo fora dos Estados Unidos, a fabricação em larga escala tem sido uma questão de longa data. Recentemente, uma empresa na Áustria chamada EVG criou máquinas para montar os painéis, reduzindo os custos de fabricação. O RSG 3-D está trazendo o material para os Estados Unidos como uma forma de demonstrar seu potencial para produção em massa no contexto de códigos de construção e custos de mão de obra qualificada.

Via ArchDaily

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.