quinta-feira, 8 de novembro de 2018

MASP de Lina Bo Bardi completa 50 anos

Na década de 1960, momento em que se intensificava a verticalização da avenida Paulista com a construção de grandes prédios comerciais, sede de corporações, empresas e bancos, a grande novidade na paisagem foi a construção do MASP, projeto da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi (1914-1992).

A edificação, que agora completa cinco décadas, foi inaugurada no antigo terreno Belvedere do Trianon, que havia sido demolido, em 1951, e, depois, abrigou o pavilhão temporário da 1ª Bienal Internacional de São Paulo. Primeiramente instalado na rua 7 de Abril, no centro de São Paulo, o MASP foi transferido oficialmente para a atual sede no dia 7 de novembro de 1968. Com base no uso de vidro e concreto, Lina mesclou em sua arquitetura as superfícies ásperas e sem acabamentos com leveza, transparência e suspensão.

O projeto de Lina manteve a vista para o centro, criando entre a parte suspensa e as dependências subterrâneas do museu uma grande esplanada, o Vão Livre - pensado como uma praça pública para uso da população.

Para marcar o aniversário do prédio, o museu promoverá, no dia 5 de novembro, o seminário internacional “O MASP de Lina - 50 anos do edifício na avenida Paulista” organizado por André Mesquita, coordenador de mediação e programas públicos do MASP, Adriano Pedrosa, diretor artístico do museu, e Guilherme Giufrida, assistente curatorial. O evento será gratuito, terá tradução simultânea para português e para Libras (Língua Brasileira de Sinais). Os ingressos serão distribuídos duas horas antes do início da programação, na bilheteria do museu.

A discussão será dedicada à arquitetura do edifício, aos impactos do projeto na vida cotidiana da cidade de São Paulo e aos usos sociais e políticos do vão do MASP. O caráter coletivo e a fruição pública definem a arquitetura do MASP, expressando o posicionamento de Lina diante de questões socioculturais e o papel da arquitetura nesse debate. Os espaços amplos, arejados e transparentes do edifício propõem um contato franco não apenas com os frequentadores do museu, mas também com a população que circula na avenida.

O seminário de um dia contará com apresentações de arquitetos, historiadores e curadores nacionais e estrangeiros que discutirão a história do edifício, sua concepção e seus usos nos últimos anos. Também apresentará diálogos entre arquitetos e engenheiros que trabalharam com Lina na construção do prédio e, além disso, entre fotógrafas que realizam ensaios inéditos sobre o prédio. As imagens serão publicadas, junto aos artigos dos palestrantes e outros materiais, em um catálogo com previsão de lançamento para abril de 2019.

O seminário e livro antecedem a exposição Lina Bo Bardi: Habitat que o MASP realizará em parceria com o Museu Jumex (México) e o MCA Chicago (EUA), em 2019, ano que o museu se dedicará ao eixo curatorial histórias das mulheres, histórias feministas.

Mais detalhes, Vale o Clique!

Via ArchDaily

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários são bem vindos.
Desde que não sejam comentários anônimos.