quinta-feira, 31 de outubro de 2019

David Chipperfield vence concurso para projetar a nova sede da Rolex USA em Nova Iorque

O concurso internacional para a sede da Rolex USA em Nova Iorque selecionou o escritório britânico David Chipperfield Architects como vencedor para projetar uma torre na maior cidade norte-americana. O projeto substituirá o edifício existente, sede da empresa desde os anos 70.

David Chipperfield Architects ficará responsável por desenhar e construir uma torre de 25 pavimentos, concebida de acordo com os critérios do LEED Platinum para apresentar os mais altos índices de eficiência energética. O edifício de 16.000 metros quadrados deverá também simbolizar o compromisso da Rolex com a qualidade, precisão e excelência.

"Estamos orgulhosos de termos sido selecionados para projetar o edifício da sede da Rolex USA. Nossa equipe está empenhada em conceber um edifício exemplar, adequado à herança e cultura da marca Rolex, bem como à sua localização na 5th Avenue." -- David Chipperfield

Localizada na esquina da 5th Avenue com a 53rd Street, a nova sede oferecerá novas áreas de escritórios para funcionários e inquilinos, gerando espaços que melhorarão o bem-estar de seus usuários, além de contar com uma nova loja Rolex no térreo.



Via ArchDaily

terça-feira, 29 de outubro de 2019

EXPODERIVA 2019 - BAIRRO ITATIAIA - ABNER RAMOS








"Foi uma alegria muito grande, estar na minha sexta Deriva do Bem e experienciar a diversidade e poesia dos espaços na Vila Itatiaia."
Abner Ramos











Legenda:
Foto 1: Escola
Foto 2: Árvore-escola
Foto 3: Pé
Foto 4: Quadra-arte_1
Foto 5: Quadra-arte_2
Foto 6: Viva o circo




sábado, 26 de outubro de 2019

Estudantes brasileiros constroem casa de garrafa PET

Uma casa ecologicamente correta, que oferece maior conforto térmico e ainda é mais barata que uma construção tradicional em alvenaria. Esse foi o projeto CASA PET, que rendeu a conquista do 5º Prêmio Instituto 3M para Estudantes Universitários 2013 para uma equipe dez alunos da FATEC de Presidente Prudente, no interior de São Paulo.

A ideia, nascida em 2012, começou a ganhar forma quando o grupo de estudantes – monitorados por três professores – se inscreveu e venceu em 2013 a quinta edição do concurso com o projeto da CASA PET. “Fomos premiados e, com isso, ganhamos R$ 30 mil para transformar a proposta em realidade no prazo de um ano. Sem dúvida, um desafio ainda maior”, conta a estudante Adriana Roberta Mendonça.

Com o troféu na mão e o dinheiro na conta, a equipe colocou a mão na massa. Em outubro de 2013, os alunos iniciaram a construção de uma casa de 24m² – incluindo uma sacada – no campus da FATEC de Presidente Prudente, com o uso de 4 mil garrafas PET preenchidas com areia lavada e solo cimento (uma mistura de terra com 10% de cimento), que substituíram os tijolos desde as fundações até o teto. A estrutura da edificação, como as colunas de sustentação, é a mesma de uma residência de alvenaria. “Da maneira como foi feita, a obra fica tão resistente quanto as casas comuns”, explica a professora Camila Pires Cremasco Gabriel, da UNESP de Tupã, uma das coordenadoras do projeto.

Além da reciclagem das embalagens PET, outro grande benefício do projeto implementado pelos alunos da FATEC é a economia. Enquanto uma obra com as mesmas medidas erguida com tijolos gasta 10 sacos de cimento, a CASA PET só precisa de quatro. Contabilizando a mão de obra, material e acabamento (pintura, instalações elétrica e hidráulica) o custo foi de R$ 15 mil, ou seja, 30% a menos do que seria gasto em um projeto igual com uso dos materiais tradicionais.

“O projeto CASA PET é de fundamental importância, pois prova que uma construção ecologicamente correta feita de embalagens PET é uma alternativa econômica viável e que pode ser utilizada por pessoas de baixa renda”, avalia Camila.

As vantagens não param ai. Além da economia, a estimativa é que os cômodos que substituem tijolos por garrafas PET sejam 20% mais frescos. Isso porque as paredes são bem mais espessas: 35 cm de largura, enquanto as convencionais têm, em média, 13 cm. “Com a obra concluída e entregue, o grupo de estudantes começa agora a fase de medições de temperatura dentro da residência, com o objetivo de comprovar esta tese. Esse trabalho deverá ser concluído no segundo semestre de 2015”, completa Camila.

Desde sua criação, o Prêmio Instituto 3M para Estudantes Universitários já ajudou a tirar do papel várias ideias inovadoras. Uma delas, por exemplo, é o Projeto Bambu, desenvolvido por alunos da UNESP de Bauru, com o objetivo de capacitar agricultores da cadeia produtiva do bambu a gerarem renda por meio da produção de artesanato. A 6º edição do concurso ocorrerá no primeiro semestre de 2015 para estudantes universitários de todo o país.

Via Ciclo Vivo

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Hotel na Noruega tem a piscina infinita incrível

Um novo hotel em um dos lugares mais famosos da Noruega ganhou muitos elogios na Internet, especialmente pela piscina de fundo de vidro insana que se projeta do penhasco a quase 2000 metros. Piscinas extremas estão meio que tendo o seu momento, mas a piscina incorporada ao conceito do hotel Cliff Concept Boutique Hotel leva piscinas extremas para outro nível.

Construído no famoso Preikestolen da Noruega, também conhecido como Pulpit Rock, hotel da Atak prevê uma estrutura de cinco andares embutidos no rochedo do próprio penhasco, com varandas ovais incríveis. A entrada do hotel estaria localizada no telhado – que funciona como um mirante -, e o interior do hotel presumivelmente seria esculpido de rocha.

O nível mais baixo é um verdadeiro show. Estendendo-se mais longe do que qualquer outra plataforma, o menor deck do design possui uma área comum para os hóspedes com as habituais cadeiras e espreguiçadeiras que você encontraria em qualquer hotel de luxo. Você seria perdoado se esquecesse deles quando visse a piscina infinita. Apoiada por cabos presos ao topo do penhasco, a piscina infinita é feita de vidro de cada lado e na parte inferior, dando uma visão desobstruída de tudo abaixo.

Via Engenharia É


quinta-feira, 24 de outubro de 2019

EXPODERIVA 2019 - BAIRRO ITATIAIA - ALTILLIERME CARLO

 CAMINHOS NA CIDADE

A Arquitetura e a Cidade
fazem sentido quando são sentidas e apropriadas.
A vida é feita de caminhos, passos e encontros.
É sobre criar vínculos, experiências e memórias.
É mudar os passos e mudar a cada passo.
Caminhar é refletir, pertencer, descobrir, sentir e sobre dar sentido.
Derivar é caminhar, por vezes, no desconhecido para conhecer, sobreviver e viver.

[Altillierme Carlo]





Escola que produz 100% de sua energia e ensina crianças a cultivar orgânicos

Com quase 10 mil metros quadrados, o novo projeto de escola sustentável, localizado no coração de Copenhague, ensinará como cultivar, colher e preparar seus próprios alimentos (orgânicos!) às crianças, além de ser equipado com painéis solares – o que tornará a escola autossuficiente energeticamente.

Projetado pelos escritórios de arquitetura C.F. Møller e Tredje Natur, ganhadores de um leilão de design em 2017, a iniciativa busca oferecer um espaço educacional que equilibre ambientes abertos e fechados, consciente da importância de uma educação ao ar livre para as crianças.

Batizado de New Islands Brygge School, o colégio será destinado a alunos do Ensino Fundamental e terá todo o seu currículo focado em atividades que visam ensinar por meio de experiências. Conceitos de agricultura orgânica, que buscam despertar nas crianças o gosto por uma alimentação mais saudável e nutritiva, são o carro-chefe da escola.

Previsto para ser inaugurado em 2020, o colégio será projetado para ter ventilação natural, isolação térmica e controle de iluminação artificial durante o dia, para economizar eletricidade, além de duas cozinhas fechadas, uma minicozinha ao ar livre com espaço para fogueira, estufas e hortas urbanas. “Cada sala de aula ainda terá acesso privativo ao terraço, onde os alunos poderão aprender química e física em estufas e biologia no jardim”, explicam os idealizadores.

Via The Greenest Post

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

EXPODERIVA 2019 - BAIRRO ITATIAIA - RITA ANDRADE





A Expoderiva 2019 - Bairro Itatiaia já começou!

Confira a Expoderiva completa da nossa derivante Rita Andrade!

Separe suas fotografias e nos envie juntamente com um breve depoimento nos contando como foi a experiência com a Deriva do Bem 2019!

Envie para derivadobem@gmail.com








Prédios públicos do Espírito Santo serão obrigados a captar energia solar

O governador do Estado, Renato Casagrande, assinou, no último dia 14/10, o decreto que institui a obrigatoriedade da instalação de equipamentos para captação de energia solar em novas edificações estaduais. A norma também se aplica às instalações construídas com recursos do Estado repassados aos municípios por meio de convênios, acordos ou termos de compromisso.

“Assinamos esse decreto hoje para que possamos aproveitar o crescimento da energia com custo benefício adequado e também para que possamos dar sinais aos projetistas dos futuros prédios públicos. O Governo precisa dar sinais de qual caminho quer seguir. A energia solar está se tornando viável. A energia eólica já se tornou viável e o Nordeste está sendo suprido por ela. Estamos trazendo agora na plataforma de PPPs [Parcerias Público-Privado] a substituição da energia dos prédios públicos através da construção de miniusinas solares”, afirmou Casagrande.

Ele celebrou ainda o momento atual com o incentivo ao uso de energias renováveis. “Estou feliz com o momento em que vivemos. O mundo exige uma visão diferente de desenvolvimento. Esse mundo novo passa pelo debate da energia. Se a gente sai da dependência do petróleo e vai para uma energia renovável, isso passa por uma decisão política e também uma decisão de viabilidade econômica”, afirmou.

Casagrande aproveitou a ocasião para anunciar que estão sendo realizados estudos para a implantação de ônibus movidos por gás natural e eletricidade.

De acordo com o decreto, a Administração Pública poderá empregar outros meios de utilização da energia solar, quando não for possível a utilização de energia solar através de instalação de placas fotovoltaicas no local da edificação. Está incluída a possibilidade de uso da modalidade do autoconsumo remoto – quando a energia gerada por um sistema fotovoltaico instalado em um local pode ser utilizada para reduzir a conta de energia de outro local completamente diferente.

Além deste decreto, o Governo do Estado também planeja criar parques solares nas Fazendas Experimentais do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). A proposta é que por meio desses parques solares todos os prédios públicos sejam autossuficientes em energia.

Via Engenharia É

terça-feira, 22 de outubro de 2019

MIT prova que o projeto de ponte mais longa de Da Vinci, de 500 anos atrás, teria funcionado

Em 1502 d.C., o sultão Bayezid II estava em busca de um projeto de ponte para conectar Istambul com sua cidade vizinha, Galata, que seria a maior ponte do mundo em seu tempo. o inventor Leonardo da Vinci propôs uma idéia, mas ele não conseguiu executar.

Hoje, 500 anos após a morte de Da Vinci, os pesquisadores do MIT decidiram testar se seu conceito teria funcionado. A aluna Karly Bast MEng, juntamente com o professor de arquitetura e engenharia civil e ambiental John Ochsendorf e a graduada Michelle Xie, analisaram todas as informações disponíveis na época e construíram um modelo em escala detalhado para testar a capacidade da estrutura de suportar e suportar o peso .

A ponte, na época, teria cerca de 280 metros de comprimento. “É incrivelmente ambicioso”, disse Bast. “Foi cerca de 10 vezes mais do que as pontes típicas da época.”

Como Leonardo não forneceu detalhes sobre os materiais que seriam usados, Bast e a equipe pesquisaram os materiais da época e concluíram que a ponte só poderia ser feita de pedra. Eles tiveram que construir um modelo e demonstrar sua estabilidade.

Eles escolheram construí-lo em uma escala de 1 a 500 usando 126 blocos para sua ponte. Os blocos individuais foram feitos em uma impressora 3D.

“Foi demorado, mas a impressão 3D nos permitiu recriar com precisão essa geometria muito complexa”, disse Bast.

Em última análise, o que a equipe estava tentando testar era se o design funcionaria com a tecnologia desde os tempos de Da Vinci.

Mantidos juntos por compressão

“Tudo é mantido unido apenas por compressão”, disse Bast. “Queríamos realmente mostrar que todas as forças estão sendo transferidas dentro da estrutura”, o que é essencial para garantir que a ponte permaneça sólida e não tombe.

Semelhante a uma construção real da ponte em arco de alvenaria, as peças da ponte foram apoiadas por uma estrutura de andaime, e somente depois de todas elas estarem no local é que o andaime pode ser removido para permitir que a estrutura se sustentasse. O teste final ocorreu quando chegou a hora de inserir a peça final na estrutura: a pedra angular no topo do arco.

“Quando o instalamos, tivemos que compactá-lo. Esse foi o momento crítico em que montamos a ponte pela primeira vez. Eu tinha muitas dúvidas ”sobre se tudo funcionaria, explicou Bast. Mas “quando coloquei a pedra fundamental, pensei: ‘isso vai dar certo'”. Depois disso, retiramos o andaime.”

“É o poder da geometria” que faz o trabalho, ela disse. “Este é um conceito forte. Foi bem pensado.”

O design não tem implicações práticas para os projetistas avançados de pontes de hoje, mas ressalta o brilhantismo da época da Vinci. Também prova, Bast disse, que “você não precisa necessariamente de tecnologia sofisticada para ter as melhores idéias”.

Via Engenharia É

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Condomínio de escritórios na China é coberto por áreas verdes

Um condomínio de escritórios com espaços compartilhados foi desenvolvido para a cidade de Shenzhen, na China. Construído para ser um hub de design, arquitetura e urbanismo da cidade, o Vanke Design Community foge dos tradicionais ambientes áridos e claustrofóbicos dos centros de negócio, criando espaços abertos, iluminados e com diversos parques públicos e áreas verdes em sua cobertura.

O projeto de parte dos edifícios foi desenvolvido pelo escritório de arquitetura chinês FCHA. Já o plano diretor completo do novo condomínio foi feito pelo escritório Urbanus. O local oferece escritórios, espaços para exposições e conferências, uma sala de palestras e uma oficina.

Situadas em um terreno levemente inclinado, as estruturas têm como objetivo combinar o desejo de criar mais áreas verdes para a cidade enquanto também deixa os ambientes dentro das construções mais iluminados. “É feito um equilíbrio entre garantir a continuidade do espaço verde público no telhado e proporcionar um bom ambiente para escritórios subterrâneos”, diz o FCHA em seu site.

A mudança nos níveis é mais aparente no centro do quarteirão, onde uma área escalonada de assentos e plantios funciona como teatro ao ar livre. O desnível da cobertura e o uso de corredores, criam poços de luz, iluminando os andares abaixo. As novas estruturas oferecem espaços de escritório contínuos em plano aberto e espaços de trabalho menores e mais privativos para grupos de cerca de 30 pessoas.

Todos os escritórios envolvidos no hub chegaram a um consenso sobre os materiais, unificando os edifícios usando concreto, vidro e aço. Uma grande passarela metálica conecta um lado do condomínio ao outro.

Via Ciclo Vivo




domingo, 20 de outubro de 2019

Em técnica pioneira, estufas de papelão são usadas para cultivar frutas e verduras no deserto

Austrália, Abu Dhabi, Somalilândia, Omã, Tenerife… Sabe o que todos esses lugares têm em comum? Possuem regiões extremamente áridas – e estão contrariando todas as tradições ao plantar toneladas de frutas e verduras no deserto.

O feito é responsabilidade da empresa britânica Seawater Greenhouse, que desenvolveu uma técnica capaz de driblar a secura do deserto a partir de estufas de resfriamento, feitas com uma espécie de papelão bem grosso.

Como funciona? Com a ajuda da água do mar e do vento – que, no deserto, é bastante forte -, essas estruturas de papelão são capazes de conservar seu interior úmido e fresco, em condições ideais para o plantio agrícola.

Já a água necessária para a irrigação dos cultivos também vem do mar e é dessalinizada por meio de uma bomba que funciona à base de energia solar. O sal que sobra de todo esse processo ainda é vendido para gerar renda à população!

Via The Greenest Post

sábado, 19 de outubro de 2019

A Expoderiva Digital é Permanente

A Expoderiva Digital é permanente. Se você participou de alguma edição e não enviou suas fotografias e depoimento para nosso e-mail, ainda dá tempo!

Envie 5 fotografias e um breve depoimento, com seu nome completo e a edição na qual foram registrados os cliques.

A medida que as fotografias chegam, já entra na pauta de publicações e passa a integrar à Expoderiva.


Nosso e-mail: derivadobem@gmail.com

Para conferir as fotografias de nossos derivantes em todas as edições, Vale o Clique!

Zebra Design, apoiadora da Deriva desde sempre



A Zebra Design tem apoiado a Deriva do bem desde o início do projeto. A identidade visual, e os posts são produzidos pela Zebra, que este ano contou com o apoio de muita gente, em especial do Altillierme Carlo.

O Alti, como é conhecido, é um arquiteto recém formado pela UFG que durante toda trajetória enquanto estudante de arquitetura está sempre pronto pra toda obra. Faz uma diferença enorme ter um camarada do nível de responsabilidade, competência e compromisso do Altillierme.

Muito obrigado!

Deriva do Bem 2019 - Bairro Itatiaia

Estaremos andando em grupo, então cuidado para não se perder do seu. Fique atento ao que acontece perto de você.

Sua atenção é uma importante aliada para evitar uma situação desagradável de assalto ou furto.

A organização da Deriva não tem como garantir segurança aos participantes, por se tratar de uma atividade realizada em local público, mas em 07 anos de Deriva - 04 deles como Deriva Fotográfica do Bem - NUNCA tivemos um incidente, então vamos fotografar e andar pela cidade sem medo, ok?

IMPORTANTE:
Não esqueça dos 2 litros de leite "longa vida". Importante doação para um trabalho social.

http://www.derivadobem.com.br/inscricoes.html

Lá do Alto com a Deriva do Bem






Lá do Alto é parceira da Deriva do Bem. Nossas primeiras edições juntos foram: Goiânia - edição Setor Sul - e na primeira edição da Deriva do Bem na Cidade de Goiás, ambas em 2015.

Para nós da Equipe é uma satisfação estarmos juntos com um olhar diferente, um olhar Lá do Alto. Nossa gratidão Ralph e Lá do Alto!

Conselho de Patrimônio de Ponta Grossa se recusa a tombar casas de Vilanova Artigas e Miguel Juliano

O Conselho Municipal de Patrimônio Cultural de Ponta Grossa negou o pedido de tombamento de duas das últimas casas modernistas preservadas da cidade. Os imóveis são a Residência Família Correia de Sá, de 1948, projetada por João Vilanova Artigas, e a Residência Família Justus, de 1950, concebida pelo arquiteto goiano Miguel Juliano, que ganhou destaque nacional pelas obras de cunho público.

A votação foi realizada no dia 30 de setembro e contou com 17 conselheiros representantes de instituições, conselhos e sindicatos da cidade. Embora apenas quatro tenham votado contra o tombamento, a legislação municipal exige um mínimo de 70% de votos favoráveis considerando o número total de conselheiros - todavia, há mais de seis meses quatro organizações não enviam representantes para as votações, o que praticamente inviabiliza o tombamento de qualquer imóvel.

"Ponta Grossa deixa de valorizar dois imóveis modernistas icônicos de arquitetos renomados mundialmente. Duas casas que eram o último exemplar na cidade de Ponta Grossa em condições de tombamento”, lamenta o diretor do Departamento de Patrimônio Cultural da cidade, o arquiteto e urbanista Alberto Portugal.

Segundo a defesa legal da família Justus, o bem não deveria ser tombado por já se encontrar devidamente preservado, registrado e esquadrinhado no livro Artigas e Miguel Juliano: seis casas modernistas em Ponta Grossa, lançado ano passado pelas arquitetas Ana Luísa Furquim Bezerra e Gisele Pinna Braga. Por sua vez, os advogados dos proprietários da Residência Família Correia de Sá afirmam que o interesse cultural da casa não é claro e que o tombamento entraria em conflito com o direito de propriedade, prejudicando possíveis expansões do imóvel - que será possivelmente demolido para dar lugar a uma clínica de cinco pavimentos.

O descontentamento de alguns setores da sociedade resultou em um abaixo-assinado online que pede nova votação para os tombamentos, disponível na página do Avaaz, com meta de reunir duas mil assinaturas. Até o momento desta publicação, mais de 1.200 pessoas assinaram, contribuindo para a preservação do patrimônio moderno brasileiro.

Via ArchDaily

Deriva do Bem 2019 - Bairro Itatiaia





A Deriva é um evento gratuito. Pedimos ao derivante que contribua apenas com duas caixas de leite longa vida que serão doadas a uma instituição, que desenvolve trabalhos com moradores de rua e dependentes químicos. Participe conosco da Deriva do Bem 2019 - Bairro Itatiaia.

Inscrições, Vale o Clique!

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Mol Engenharia - apoio a Deriva do Bem




A Mol! Engenharia desde 2011 colabora, e ajuda a pensar o projeto da Deriva do Bem. São 8 anos de boas prosas, reflexões, sorrisos e cafés.

Um apoio que contagiou a equipe toda da empresa e tem feito muito bem ao projeto. Nossos agradecimentos sinceros ao pessoal da Mol! em especial ao Carlos Barcelos e Octávio Scapin.

Valeu Galera!

Deriva do Bem 2019 - Bairro Itatiaia






A Deriva é um evento gratuito. Pedimos ao derivante que contribua apenas com duas caixas de leite longa vida que serão doadas a uma instituição, que desenvolve trabalhos com moradores de rua e dependentes químicos. Participe conosco da Deriva do Bem 2019 - Bairro Itatiaia.

Inscrições, Vale o Clique!

Estúdio RGB é parceria da Deriva do Bem






Parceiro da Deriva do Bem o Estúdio RGB tem apoiado desde a edição de 2013 o projeto. Uma turma bacana que sempre nos apoia e nos recebe prontamente.

Agradecemos o apoio e amizade!

Valeu Galera!

Deriva do Bem 2019 - Bairro Itatiaia






A Deriva do Bem 2019 - Itatiaia começa hoje, 18/10/2019! Nosso bate-papo será na Escola Municipal Brice Francisco Cordeiro na Rua R-34, 191 às 20h00. No Sábado nos encontraremos às 9h00 no Bosque do Itatiaia na Avenida Esperança esquina com a Rua R-6. Se inscrevam! Participem!

www.derivadobem.com.br

Deriva do Bem 2019 - Bairro Itatiaia





A Deriva é um evento gratuito. Pedimos ao derivante que contribua apenas com duas caixas de leite longa vida que serão doadas a uma instituição, que desenvolve trabalhos com moradores de rua e dependentes químicos. Participe conosco da Deriva do Bem 2018, edição Goiânia.

Inscrições, Vale o Clique!

Servidores do Distrito Federal usarão carros elétricos compartilhados

O governo do Distrito Federal (GDF) lançou na última segunda-feira (7) projeto piloto que usa carros elétricos compartilhados no transporte dos servidores públicos. O projeto Vem DF conta inicialmente com uma frota de 16 veículos elétricos modelo Twizy, da marca Renault, para que servidores cadastrados possam se deslocar por rotas previstas no software do automóvel.

A princípio, o GDF tem dois carros habilitados para fazer o transporte de servidores e, gradualmente, os demais carros receberão a instalação do software que permite o uso compartilhado. Foram entregues 12 veículos e quatro chegarão a Brasília até o final do ano.

Rotas
Os novos veículos terão uma rota restrita ao percurso entre a Esplanada dos Ministérios, onde ficam os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário federais, e as sedes dos órgãos da administração do DF. Os carros têm autonomia para até 100 quilômetros (km) com uma velocidade de até 80 quilômetros por hora (km/h).

O aplicativo será viabilizado por um software (MoVe), que permite reservar os veículos disponíveis e acompanhar a localização deles. O aplicativo rastreia o automóvel, monitora a velocidade, a carga de bateria e as rotas percorridas. Os carros serão desbloqueados com cartões dos usuários cadastrados no sistema.

Para garantir o carregamento dos veículos elétricos, serão instalados por toda a capital 35 pontos de recarga. Os eletropostos permitirão abastecimento gratuito e serão de uso público, e não apenas da frota do governo.

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) investiu nos carros e eletropostos R$ 2,1 milhões.

Um acordo de cooperação técnica (ACT) assinado entre ABDI, Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) e GDF viabilizou o início do projeto em Brasília. Os veículos serão cedidos ao governo distrital em forma de comodato, com cláusulas sobre operação, manutenção, taxas e seguros.

IPVA
No lançamento do projeto, o governador Ibaneis Rocha anunciou que o governo prepara projeto de lei para isentar carros elétricos de Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) por cinco anos. Segundo Ibaneis, o projeto está pronto e será encaminhado para a Câmara Legislativa do DF.

Via Ciclo Vivo

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Igreja da Pampulha é reaberta ao público após um ano de restauro

Um dos principais cartões-postais de Belo Horizonte, a Igreja da Pampulha, projetada por Oscar Niemeyer, recebeu um minucioso trabalho de restauro e será reaberta ao público hoje, dia 4 de outubro. O edifício estava fechado desde junho do ano passado, quando se iniciou a intervenção nas infiltrações, incluindo um complexo trabalho de substituição do forro de madeira da nave central, além de manutenções gerais, como a limpeza e recuperação do revestimento externo das pastilhas cerâmicas, repintura da capela e recuperação dos passeios da calçada portuguesa.

A Igreja de São Francisco de Assis, popularmente conhecida como Igrejinha da Pampulha, é um edifício com alto valor histórico, marco da arquitetura moderna e tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), e desde 2016 é Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO.

As obras na igreja fizeram parte de compromissos assinados com a UNESCO para modificações nos projetos do Conjunto da Pampulha após sua nomeação como Patrimônio Cultural da Humanidade. Devido à importância do projeto da igreja, foi realizado um amplo estudo para garantir a preservação dos valores patrimoniais. De acordo com a Tecnibras, construtora responsável pelo projeto, o restauro contou com uma intervenção atenta aos detalhes construtivos, para que não houvesse uma descaracterização do bem cultural e para que fossem mantidas as condições de autenticidade e fruição.

A substituição do forro de madeira da nave central, danificado por conta das infiltrações, foi o maior desafio do restauro. Como cada peça dos painéis de madeira que formavam o forro tinha medida única e diferentes entre si, foi feito um mapeamento de cada painel e as peças antigas serviram de molde para a fabricação de novas.

A recuperação do revestimento externo das pastilhas cerâmicas também exigiu bastante atenção no processo de restauração. As regiões com destacamento de pastilhas foram recuperadas manualmente e reassentadas, seguido de limpeza também manual para não danificar as pastilhas e argamassa de assentamento.

O restauro foi selecionado pelo IPHAN para receber recursos do Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas. As obras foram executadas pela Prefeitura de Belo Horizonte por meio da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap).

Via ArchDaily

Deriva do Bem 2019 - Bairro Itatiaia









A Deriva do Bem 2019, começa amanhã com nosso tradicional bate-papo. Nosso tradicional bate-papo será na Escola Municipal Brice Francisco Cordeiro na Rua R-34, 191, às 20h00.

Ainda dá tempo de se inscrever! Vale o Clique!

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Deriva do Bem é um Projeto Extensão UFG



A Deriva do Bem é um projeto de extensão e cultura da UFG sem fins lucrativos.

Desde 2014 buscamos através das vendas de camisetas e canecas financiar as despesas do evento, como manutenção de sites, material de consumo etc.

Uma forma de você colaborar com o nosso projeto é adquirindo nossas camisetas. A cada edição do evento lançamos uma cor diferente.

Para maiores informações envie um email para

derivadobem@gmail.com

Deriva do Bem 2019 - Inscrições Abertas!





Se você ainda não se inscreveu, clique, inscreva-se e venha participar conosco de mais uma edição da Deriva do Bem!

A Deriva do Bem 2019 acontecerá nos dias 18 e 19 de outubro, no Bairro Itatiaia, ao lado do Campus 2 da UFG.

Clique, confira, se inscreva e venha com a gente!