quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Arranha-céu na China apresenta cachoeira de 108 metros em sua fachada



Um arranha-céu em Guiyang, China, atraiu a atenção da mídia graças a um elemento ousado em sua fachada. Em uma de suas laterais, o edifício Liebian, de 121 metros de altura, apresenta uma cachoeira de 108 metros que garante um espetáculo aquático para os frequentadores da praça em frente ao prédio. Esta é uma das cachoeira artificiais mais altas do mundo - e, seguramente, a maior localizada em área urbana.

Concebido para ser a nova atração turística do distrito comercial central da cidade, o arranha-céu certamente chamou a atenção da mídia, no entanto, também gerou controvérsia. De acordo com o Times, quando a cachoeira foi acionada pela primeira vez, alguns moradores locais ligaram para jornais locais relatando um grande vazamento de água.

Outros cidadãos manifestaram preocupações sobre o desperdício gerado pela cachoeira, já que os custos de operação e gasto de água chegam a 800 yuan, cerca de US$ 118, a cada hora. No entanto, de acordo com a Kanka News, os proprietários do edifício responderam explicando que a água utilizada é de reuso de torneiras e da chuva, e que a cachoeira não ficará ativada o tempo todo, apenas em ocasiões especiais. Vale o Clique!

Via ArchDaily

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Mercado Municipal do RJ ganhará mais de 5 mil placas solares



A CPFL Eficiência, empresa do Grupo CPFL Energia, fechou um contrato de R$ 13 milhões com o Centro de Abastecimento do Estado da Guanabara (CADEG), no Rio de Janeiro, para instalar placas solares e uma usina de cogeração a gás natural. Com previsão de iniciar a operação no início de 2019, os novos projetos trarão mais segurança no fornecimento de energia para o Mercado Municipal do Rio de Janeiro e uma redução no valor da conta de luz.

Produção solar
O projeto de energia solar prevê a instalação de 5.124 placas fotovoltaicas sobre a cobertura existente do mercado e as docas, cobrindo uma área total de 10.248 metros quadrados. Isso possibilitará a construção de uma usina de 1,8 MW, o maior projeto de energia solar para mercados públicos do mundo e o maior para um cliente comercial no Brasil.

Para efeitos de comparação, essa energia é suficiente para abastecer cerca de 1 mil residências com consumo médio de 200 KWh por mês. Somente com a geração solar, a expectativa é que o mercado municipal possa reduzir em 39% a sua conta de energia, economizando, em média, R$ 140 mil por mês.

Produção de gás natural
O contrato firmado entre as partes prevê também a instalação de seis motogeradores, alimentados com gás natural, gerando eletricidade para o prédio durante o horário de ponta, das 17h30 às 20h30. A potência desse sistema é de 2400 KVA, que atende 100% da necessidade energética do Cadeg.

Além da economia e da geração de energia limpa, outro benefício está na integração entre os dois sistemas. Enquanto as placas solares geram energia durante o dia, a cogeração a gás passa a funcionar do pôr do sol até às 20h30, substituindo o consumo em horário de ponta, cuja tarifa é mais cara. A integração entre as tecnologias traz mais confiabilidade no fornecimento de energia para o Mercado Municipal do Rio de Janeiro. Faz parte do projeto, também, a realização de obras para substituição de transformadores e reforço da rede elétrica que já atende o mercado.

“Com o aumento das tarifas no mercado cativo, as empresas estão buscando alternativas para reduzir as suas despesas com energia. Além da economia, as soluções de eficiência e gestão energética também oferecem confiabilidade no fornecimento e previsibilidade nos gastos com a conta de energia, além de reduzir impacto ao meio ambiente”, diz a diretora de Inteligência de Mercado da CPFL Energia, Fabiana Avellar.

Via Ciclo Vivo

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Projeto de Lei quer que bioconstrução seja financiada no Minha Casa Minha Vida

Uma proposta que inclui o financiamento de imóveis feitos a partir de técnicas de bioconstrução aguarda indicação de relator na Comissão de Meio Ambiente. O projeto foi apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) a pedido de movimentos que defendem a habitação popular acessível e sustentável. A ideia é que o financiamento seja disponibilizado pelo programa Minha Casa Minha Vida.

Técnicas ecológicas e populares
De acordo com Randolfe, o Minha Casa Minha Vida privilegia materiais e sistemas construtivos convencionais. Com isso, ele deixa de lado os conhecimentos gerados pelas próprias comunidades locais beneficiadas, especialmente no que se refere ao uso de técnicas de bioconstrução, como, por exemplo, adobe, taipa, solocimento, ferrocimento e bambu.

“O uso dessas técnicas pode reduzir custos, especialmente nas localidades em que o transporte de materiais tradicionais, como areia, cimento e tijolos é mais caro. Além disso, as obras serão executadas com menor impacto sobre o meio ambiente e com maior engajamento da comunidade beneficiada, gerando reflexos positivos para as gerações atual e futuras”, argumenta o senador na justificativa do projeto.

Além da Comissão de Meio Ambiente, o projeto passará também pela Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), onde receberá decisão final.

O projeto PLS 296/2018 pode ser visto na íntegra. Confira!

Via ArchDaily

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Ministério do Meio Ambiente disponibiliza cartilha com técnicas de bioconstrução

A bioconstrução se baseia no princípio de que é possível construir tendo um impacto ambiental muito baixo. Para promover este conceito e apresentar técnicas práticas, o Ministério do Meio Ambiente disponibiliza gratuitamente uma cartilha on-line para capacitação e informação acerca do tema e suas devidas metodologias.

Apesar de ter sido criado para um curso do Programa de Apoio ao Ecoturismo e à Sustentabilidade Ambiental do Turismo – Proecotur, o material é extremamente útil para quem deseja entender melhor a bioconstrução e conhecer detalhes de diferentes técnicas sustentáveis e ambientalmente corretas.

Um dos intuitos desta cartilha é oferecer opções para que as comunidades tenham autonomia e sejam capazes de, através de técnicas tradicionais, garantirem suas necessidades sem a dependência de outros grupos. Neste sentido, o primeiro passo é pensar além do comum, é enxergar todos os materiais, sejam eles naturais ou residuais como matéria-prima em potencial.

Utilizar materiais locais, como terra, pedra, palha e madeira é outro ponto de destaque na cartilha. Com esta mudança de paradigmas, o programa passa para a segunda etapa, a observação das condições climáticas, para que os elementos naturais, como o sol e o vento, sejam usados como aliados na obra.

A apresentação de diferentes técnicas tradicionais e eficientes para a construção forma o terceiro bloco de instruções. Superadobe, adobe, COB, taipa de mão, taipa de pilão, são apenas algumas das metodologias apresentadas com detalhes e exemplos práticos. Os cuidados necessários com o abastecimento e saneamento também estão detalhados no material.

O livreto é indicado para qualquer pessoa que queira aprofundar seus conhecimentos acerca da bioconstrução e também para quem deseja iniciar uma obra sustentável e não sabe por onde começar. Além de ter menos impactos ambientais, este tipo de construção custa muito menos do que as tradicionais.

Para fazer o download da cartilha, Vale o Clique!

Via ArchDaily

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Iphan lança nova edição do inventário da obra de Athos Bulcão

O ano de 2018 marca o centenário do artista Athos Bulcão, e em celebração à vida o obra deste que foi um dos pintores escultores e muralistas mais influentes do Brasil no século XX, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) lançou uma versão atualizada do inventário de suas obras.

Inventário da Obra de Athos Bulcão em Brasília é o nome do livro que parte de um primeiro trabalho realizado pelo instituto entre 2008 e 2009 e publicado em 2010. Naquela edição, foram documentadas 261 peças, que revelam a sensibilidade, a multiplicidade e a riqueza do universo criativo do artista. A nova edição, lançada oficialmente no dia 30 de julho, conta com mais de 200 páginas e consiste em um livro conceitualmente ampliado, revisado em seu conteúdo e com uma concepção gráfica lúdica e inventiva.

A Fundação Athos Bulcão, responsável pela guarda do acervo do artista, acompanhou a produção do livro que reavalia o inventário de 2010. “Revisamos o projeto gráfico, o texto, que tinha algumas inconsistências, erros de digitação, corrigimos tudo”, informa Carlos Madson Reis, superintendente do Iphan-DF. “O formato é maior, mais adequado à obra do Athos, que normalmente é em área pública, e as fotografias são maiores.”

“Athos Bulcão não era arquiteto, mas sua arte se integrou não só às obras de Lucio Costa e Oscar Niemeyer, mas às de outros importantes arquitetos brasileiros, numa rara e bela complementaridade entre arquitetura, urbanismo e artes plástica. E aqui não há de falar em mera justaposição de elementos artísticos e arquitetônicos ou do eventual caráter decorativo dos primeiros. Trata-se da fusão indissociável de meios e linguagens estéticas distintas, que se fundem para formar uma nova e única composição artística, com sua própria personalidade, beleza e harmonia”, comenta Madson Reis.

Via ArchDaily

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Expoderiva 2018 - Goiânia - Edmar Moura




"Foi uma experiência muito interessante. Observar locais, paredes, paisagens e pessoas. Nos mínimos detalhes, buscando algo que faça sentido, algo que se possa sentir, ou, se possa fotografar para alguém sentir."
Edmar Moura




terça-feira, 7 de agosto de 2018

Detector de Corrupção - um aplicativo que mostra o histórico de processos de políticos e pré-candidatos


O Detector de Corrupção é um aplicativo criado pela Grey para o Reclame Aqui.


O app ganhou prêmio inédito no Cannes Lions 2018, na categoria Mobile. Em 2016, quando foi lançado, era apenas uma extensão para o navegador Google Chrome. Quem diria?

Na versão aplicativo, totalmente gratuita, o Detector de Corrupção utiliza um sistema de reconhecimento facial que pinta de roxo o rosto de políticos envolvidos em denúncias de corrupção.

É muito fácil de usar: basta apontar o celular para uma fotografia ou para as telas de TV ou computador. Daí o aplicativo mostra a ‘ficha corrida’ do corrupto: processos e improbidades administrativas que ele responde na Justiça.

A ferramenta dá o parecer a partir de informações disponíveis na base de dados de órgãos como o Supremo Tribunal Federal (STF), Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Tribunais de Justiça (TJs) e Tribunais Regionais Federais (TRFs). Apenas processos em segredo de Justiça não são revelados.

Interessou? Assista, ao vídeo do aplicativo.

O Detector de Corrupção está disponível nas versões Android e iOs. Para baixar, Vale o Clique!

Via The Greenest Post

Expoderiva 2018 - Goiânia - Marcos Laffyte






 "Derivar é conhecer outras realidades."
Marcos Laffyte



segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Habitação Social no Largo do Paissandú - Concurso 027 [Projetar.org]

















Com o objetivo de contribuir com o aperfeiçoamento, formação e divulgação de um portfólio consistente, o Portal Projetar.org realiza concursos de ideias para estudantes de arquitetura. O processo é totalmente online, e os prêmios incluem dinheiro e publicação dos projetos em sites e blogs de alcance nacional.

Na madrugada do dia 1º de maio de 2018 teve início um incêndio no Edifício Wilton Paes de Almeida, localizado no largo do Paissandú, centro de São Paulo/SP. Em menos de duas horas após o fogo ter se iniciado, o edifício desabou.

Símbolo de um dos períodos de maior desenvolvimento do país e ícone da arquitetura moderna, o edifício inaugurado no final dos anos 1960 estava ocupado por pessoas que não tinham outro local para morar desde 2015. As condições de vida das cerca de 100 famílias abrigadas no edifício eram precárias, porém, de acordo com os próprios ocupantes, era "melhor que viver na rua".

As ocupações são uma conseqüência grave do aumento da população mundial somado ao aumento das desigualdades sociais. As soluções de habitação popular propostas pelo governo são insuficientes para sanar o déficit habitacional, visto que, em sua maioria, estão muito distantes dos centros urbanos, onde há infra-estrutura e oportunidades de trabalho, e oferecem tipologias que não atendem à multiplicidade do perfil das famílias que necessitam de moradia.

A Projetar.org solidariza-se com as vítimas do desabamento do Edifício Wilton Paes de Almeida. Essa tragédia humana, social e arquitetônica reforça a necessidade de reflexão acerca do tema da habitação social, e nos provoca a imaginar: e se esse terreno fosse utilizado para proporcionar condições dignas de moradia às famílias que necessitam?

Podem se inscrever grupos de no máximo 5 (cinco) integrantes,compostos por estudantes brasileiros e/ou estrangeiros, devidamente matriculados em cursos de graduação em arquitetura no Brasil e/ou no exterior, que possam comprovar suas matrículas.
A taxa de inscrição por grupo é de R$ 140,00.

Confira!

Via Projetar.org

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

O brutalismo de Toronto, pelas lentes de Ruta Krau







A fotógrafa Ruta Krau registrou imagens impressionantes do Andrews Building, um dos edifícios brutalistas mais famosos do Canadá e exemplar celebrado da arquitetura em concreto de Toronto. Projetado por John Andrews, arquiteto da icônica CN Tower de Toronto, o Andrews Building incorpora o espírito modernista de se conectar com o contexto natural, aspecto evidente em sua implantação sobre uma ravina, emergindo como uma piramide escalonada a partir desse acidente topográfico.

As fotografias de Krau capturam a estética bruta e natural do edifício modernista, destacando a textura deixada pelas tábuas de madeira usadas para enformar o concreto aparente. Presente tanto no interior como no exterior, essa textura complementa os pisos de coloração terrosa e as paredes revestidas de madeira. Mais fotografias, Vale o Clique!

Via ArchDaily


terça-feira, 31 de julho de 2018

Seis hotéis para visitar com crianças

Fugir da cidade grande é a ordem! Você precisa descansar e a criançada precisa gastar energia. Mas as férias é também hora de aprender bastante: eles descobrem de onde vem as coisas, como fazer coisas e um pouco da história do Brasil. Confira alguns hotéis kids friendly que encontramos pelo Brasil que agradam pais e filhos.

Fasano Boa Vista, Porto Feliz, SP

Ideal para os pais apaixonados por arquitetura! Situado em na famosa Fazenda Boa Vista, a apenas uma hora de São Paulo, esta sede da rede Fasano é assinada por Isay Weinfeld e tem várias atividades para crianças organizadas pela própria administração da fazenda! Há, também, uma brinquedoteca completíssima, duas piscinas cobertas e pista de skate. Atividades educativas são coordenadas por monitores especializados.

Enquanto os pimpolhos se divertem, os adultos podem relaxar no SPA do hotel que oferece os ou se arriscar em aulas de tênis ou no clube de golfe.

Para conferir os outros 5 hotéis, Vale o Clique!

Via Casa Vogue

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Quanto custou alguns logotipos famosos

O site StockLogos publicou, recentemente, uma lista mostrando quanto custou para algumas das principais marcas do mundo seus logotipos. Os valores são surpreendentes. Alguns, por serem baratos demais – é o caso do Google original, que aparece com custo zero, já que foi criado em 1998 por um dos fundadores da empresa, Sergey Brin. Outros, por serem incrivelmente caros. Mas, daí entra aquela questão: como precificar seu trabalho? Se levarmos em conta que aquele logotipo terá ampla exposição, especialmente quando representa marcas de grande alcance mundial, será que $ 100 milhões realmente é caro demais?

O logotipo original da Coca-Cola foi criado por Frank Mason Robinson, em 1885. Como ele era escriturário da empresa, o custo foi $ 0.

Recentemente, o logotipo do Twitter passou por mudanças. Mas, lá em 2009, quando foi criado por Simon Oxley, ele custou $ 15.

Carolyn Davidson criou o logo da Nike em 1975, por $ 35. Alguns anos depois, a Nike também cedeu 500 opções de ações para Carolyn, que atualmente valem mais de $ 600 mil. Mesmo tendo passado por algumas modificações ao longo dos anos, o conceito original sempre foi mantido.

Steve Jobs pediu a Paul Rand que criasse ao logotipo da NeXT em 1986. Para isso, ofereceu $ 100 mil ao designer.

Wolff Ollins assinou em 2007 o logotipo da Olimpíada de Londres. Preço: $ 625 mil.

$ 1 milhão foi o preço cobrado pela Arnell Group em 2008 pelo novo logotipo da Pepsi.

O logo da BBC passou por um redesign em 1997. O preço? $ 1,8 milhão.

Via B9

domingo, 29 de julho de 2018

E-book: Pequeno Guia Prático para a Agricultura Urbana

O Ministério do Meio Ambiente acaba de lançar um guia online sobre agricultura urbana. Trata-se de uma cartilha que reúne técnicas, indicações de leitura, mapeamento de iniciativas e outras informações sobre hortas urbanas.

O objetivo do guia é estimular novas ações e valorizar as existentes, inclusive por meio de um mapa interativo que apresenta iniciativas inspiradoras de preservação, recuperação e produção de alimentos nas cidades.

Perfeito Fortuna, administrador da Fundição Progresso desde 1999, contou como aconteceu a horta urbana no bairro da Lapa, no Rio de Janeiro. “Fomos invadidos por uma juventude querendo plantar. O mais necessário é isso: água e comida. O resto é o resto. Então, começamos a plantar flores e descobrimos que podíamos fazer um jardim com plantas comestíveis. Conseguimos um terreno para plantar e começamos a trazer pessoas para dar cursos, como o Ernst Gotsch, que nos ensinou a usar a matéria orgânica das podas das árvores da cidade para recuperar o terreno. Hoje, temos um mutirão para cuidar da horta e uma feira orgânica todas as terças-feiras”.

O guia é uma realização da Fundição Progresso e do Ministério do Meio Ambiente com o apoio da ONU Meio Ambiente, do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CBDES) e do coletivo Organicidade.

Para download, Vale o Clique!

Via Ciclo Vivo

sábado, 28 de julho de 2018

O Novo visual do Google Chrome




Já faz algum tempo que o Google vem trabalhando em uma reformulação visual para a versão desktop do seu navegador Chrome. A proposta dessa mudança é aplicar mais elementos da atual versão do Material Design a um de seus principais produtos.

Pois esse novo visual acabou de chegar ao Chrome Canary, a versão experimental do navegador, que recebe as mudanças antes de elas serem implementadas definitivamente na versão estável. Nela, a barra de endereço e as abas estão arredondadas e há um espaçamento maior entre os itens da interface, para que o navegador fique mais amigável a notebooks com tela de toque.

Essa seria a primeira grande atualização no visual do navegador, que passou por poucas mudanças na interface desde que foi lançado há quase dez anos. Você já pode testar a novidade baixando o Chrome Canary para Windows, Linux e Chrome OS, onde ela está ativada por padrão. Lembre-se que essa é uma versão de testes e pode conter bugs, não sendo recomendada para a maioria dos usuários.

Ainda não há uma data para o lançamento da versão final da nova interface, mas o fato de ela estar ativada por padrão no Canary já é um bom indicativo de que o anúncio está bem próximo de acontecer. Aguarde mais novidades.

Via Tec Mundo

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Casas impressas em 3D serão entregues em 2019 na Holanda

A Holanda será o primeiro país do mundo a ter casas feitas com impressoras 3D através do “Project Milestone”, projeto que está preparando moradias que serão comercializadas por imobiliárias como qualquer outro imóvel.

A primeira cidade a implementar o projeto é a pequena Eindhoven. As casas são descritas com “todos os requerimentos modernos de conforto, sendo ecologicamente sustentáveis e localizadas em uma região arborizada”.

Por enquanto, serão construídas 5 casas, uma após a outra, por isso a complexidade das obras não é tão simples. As casas serão feitas uma depois da outra justamente para possíveis melhorias e evolução do projeto.

Ainda de acordo com os responsáveis pelo projeto, é possível criar casas com liberdade criativa e flexibilidade de adaptação aos ambientes, nesse caso, um ambiente “mais natureza”. As primeiras casas do projeto serão entregues em 2019.

Via B9

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Renzo Piano projeta moradia individual

O arquiteto italiano Renzo Piano desenvolveu uma moradia sustentável e prática, ideal para abrigar apenas uma pessoa. Feita em madeira, a casa possui pouco mais de três metros de diâmetro e deve oferece conforto ao morador.

A estrutura foi apelidada de Diogene, uma referência e homenagem feita ao filósofo grego Diógenes, que optou por viver em um barril. Isso não significa que a casa projetada por piano seja apertada e sem conforto. O pequeno espaço foi pensado a partir de muito planejamento e cuidado e está entre os projetos de alto-nível da Vitra, fabricante alemã de móveis.

Foi a própria empresa alemã que solicitou ao arquiteto uma moradia com esses padrões, por saber que Piano já trabalhava com protótipos desse tipo há dez anos. A Diogene é uma casa sustentável e sua estrutura permite que ela seja facilmente transportada para outro local.

A energia utilizada para abastecer a residência é obtida a partir das placas fotovoltaicas, instaladas no telhado, o que permite que ela se mantenha totalmente fora da rede. Além disso, a casa é equipada com um tanque para o armazenamento da água da chuva, banheiros com sistema de compostagem, ventilação natural.

Mesmo com a tecnologia, o morador de uma Diogene contará apenas com espaço para uma cama, uma mesa e uma cadeira.

Via Ciclo Vivo


quarta-feira, 25 de julho de 2018

Time-lapse da construção dos estádios para a Copa do Mundo de 2022 no Qatar




Já podemos dar uma olhada no que está sendo construído para a próxima edição do maior evento esportivo do mundo. A Copa do Mundo da FIFA de 2022 no Qatar oferece tudo aquilo que há de mais emocionante na arquitetura de estádios, com a maioria das infraestruturas sendo construídas do zero. Vários arquitetos de renome mundial apresentaram propostas, e o seguinte conjunto de vídeos recém-lançados mostra a progressão de cada estádio, à medida que chegamos à aproximadamente quatro anos para o início da competição. Enfatizando a tecnologia da construção destas mega estruturas, os vídeos destacam um lado às vezes negligenciado dos projetos de estádios. Para materializar a incrível arquitetura destes estádios, sem a necessidade de renders fenomenais - como os produzidos por Foster + Partners e Zaha Hadid Architects - impressionantes tecnologias de engenharia e controle de compatibilização de projetos são necessários, e nos primeiros estágios da construção, isso se torna o ponto mais importante. Veja à seguir a beleza dessas maravilhas estruturais, mas esteja ciente - você poderá ficar com febre durante a próxima Copa do Mundo. 

Para conferir mais, Vale o Clique!

Via ArchDaily

terça-feira, 24 de julho de 2018

Alfred Hitchcock ganha megaexposição no MIS, em São Paulo

Quem ama cinema sabe que Alfred Hitchcock é daqueles cineastas chave para entender um pouco da própria história cinematográfica e, principalmente, da construção do gênero suspense como o conhecemos hoje. O inglês radicado nos Estados Unidos mostrou o quanto a linguagem visual complementa a narrativa, e que nada pode estar na tela sem um motivo por trás. Toda essa bagagem pode ser vista, revista, folheada e fotografada na exposição Hitchcock - Bastidores do Suspense, em cartaz no Museu da Imagem e do Som - MIS até o dia 21 de outubro de 2018.

Com curadoria de André Sturm, a exposição, como o nome já indica, faz o visitante passear nos bastidores de cada um dos 17 filmes selecionados para preencher os dois andares do museu. “Queremos mostrar quem é o homem por trás de um nome que virou adjetivo no meio cinematográfico, que criou um universo visual particular e todas as suas características sistemáticas”, explica André em coletiva de imprensa. Antes de ser diretor, Hitchcock foi decorador de set, e essa experiência enriqueceu muito a sua proposta de filme, porque o rigor no olhar ficou ainda mais apurado, tanto para o roteiro e direção, quanto para a direção de arte e de fotografia.

O mergulho na vida e obra de Alfred Hitchcock acontece entre as diversas salas, divididas por grandes painéis de madeira, que lembram as caixas de containers e também as divisórias de cenários de filmes, séries e novelas. Entre uma cortina de veludo preto e outra, o visitante pode conhecer mais da história de filmes como Mulher Oculta (1938), Suspeita (1941) e O Marido era o Culpado (1936), e também descobrir detalhes diversos dos clássicos como Ladrão de Casaca (1955), O Corpo que Cai (1958) e Psicose (1960).

O que faz destacar o trabalho de cenografia realizado pela equipe do Atelier Marko Brajovic. “Montamos como se estivessemos andando pelos bastidores dos filmes, no meio dos cenários montados de estúdios como a MGM”, explica Bruno Bezerra, diretor de projeto do escritório, em entrevista à Casa Vogue. “Como a exposição foi pensada como um circuito único, o suspense de entrar em portas ou abrir cortinas aumenta a expectativa do visitante. Consideramos o lema do diretor para tal: o suspense não pode ser exacerbado, precisa ser na medida”, completa. Quadros e pôsteres dos filmes de diversos países preenchem as paredes do MIS, enquanto as pequenas fotografias dispostas como moodboards e storyboards de filmes auxiliam visualmente os textos sobre os filmes de Hitchcock. Uma exposição bem completa para quem se interessa por cinema.  Vale o Clique!

Via Casa Vogue


segunda-feira, 23 de julho de 2018

Pesquisadores criam painel solar que funciona com bactérias

Os cuidados com o meio ambiente são um dos assuntos mais comuns atualmente — e mais ainda quando o assunto é energia. É aí que entra a energia solar, que possui uma boa reputação justamente por ser renovável e não liberar poluentes na atmosfera do nosso planeta.

Pensando nisso, pesquisadores da Universidade da Colúmbia Britânica criaram uma espécie de placa absorvente de luz solar que pode transformar a luz em energia até mesmo quando o tempo está nas piores condições possíveis. Até aí, sem grandes novidades, certo? Bom, a diferença está justamente na composição do produto: ao contrário dos painéis de luz solar convencionais, esses vão utilizar certo tipo de seres vivos.

Os pesquisadores perceberam que as células solares — as partes dos painéis que são responsáveis por converter a luz solar em energia — funcionam melhor em dias ensolarados. Assim, eles trabalharam com bactérias E. coli geneticamente modificadas, que produzem uma substância chamada licopeno, capaz de converter a luz em energia. Você pode não conhecer esse nome, mas com certeza já viu os efeitos desse pigmento — ele dá o tom vermelho à casca dos tomates.

Assim, os pesquisadores transformaram as bactérias em produtoras dessa substância que age como um semicondutor e aplicaram essa mistura em uma superfície de vidro. No final, os testes mostraram que esse experimento obteve resultados melhores do que as células solares convencionais. Esses materiais biogenéticos poderiam ter usos que vão além dos painéis solares, como em explorações em grandes profundidades, onde realmente não há luz alguma.

Yadav Vikramaditya, professor do Departamento de Engenharia Química e Biológica da Universidade, apontou que o processo custa aproximadamente um décimo dos modelos convencionais. Entretanto, os pesquisadores ainda estão verificando alguma forma de manter as bactérias vivas, para que o pigmento possa ser produzido sem restrições.

Via Tec Mundo

domingo, 22 de julho de 2018

Top 5 hotéis subaquáticos mais inacreditáveis do mundo



Não deve haver nada mais exótico e único do que ficar em um hotel submarino. Destinos turísticos submersos e semi-submersos foram surgindo em todo o mundo, da Tanzânia e das Maldivas, à Suécia e aos Estados Unidos. Confira!

Via Engenharia É


sábado, 21 de julho de 2018

Renzo Piano projeta edifício residencial “lixo zero” em NY

Construir um prédio digno do conceito “lixo zero” exige muito trabalho. Mas, o escritório do renomado arquiteto Renzo Piano encarou o desafio numa das metrópoles mais importantes do mundo: Nova Iorque. Anunciado em 2016, o edifício está em fase de conclusão.

Além de evitar que mais de 90% dos resíduos sejam encaminhados aos aterros, o projeto foca-se no aproveitamento máximo de luz natural. Um dos exemplos disso é ele ser quase totalmente revestido por vidros. Isso garante aos moradores uma vista panorâmica de 360 ​​graus do rio Hudson, que corta o estado de Nova Iorque.

De antigas fábricas a casa descolada
A ideia de construir um edifício arejado e repleto de luz era remontar os antigos lofts industriais do bairro de Soho. Nos anos 70, os lofts deste bairro de NY começaram a ser comprados por pessoas ligadas à arte e arquitetura, ganhando o status de espaço “cool”. A partir daí, acredita-se que se tenha popularizado a ideia de morar em tais espaços. Hoje em dia, inclusive, estes são os locais mais caros para se viver na cidade.

Para recriar o ambiente, a execução do projeto contou com a ajuda da empresa parisiense de design de interiores Rena Dumas Architecture Interieure. Os tetos são altos e as janelas de vidro super transparentes do chão ao teto, o que também realça a sensação de espaço.

Haverá ainda estações de recarga de veículos elétricos e bebedouros para encher a garrafinha de água e eliminar todo o uso de garrafa plástica descartável dentro do prédio.

Luxo
Batizado de 565 Broome Soho, o edifício também tem vista para o One World Trade Center, construído no terreno onde ficavam as Torres Gêmeas destruídas no 11 de setembro. Já é de se imaginar o quão luxuoso é o prédio. Por dentro, há toda comodidade que um nova iorquino com poder aquisitivo para morar no coração da cidade pode almejar.

Os benefícios incluem uma piscina coberta e aquecida de 15 metros; um centro de ginástica; salas de vapor e sauna; terraço ao ar livre com paisagismo e parede verde. O prédio também será equipado com tecnologia de estacionamento automatizado. São 112 residências que variam de estúdios a apartamentos de até quatro quartos.

Renzo Piano

O famoso arquiteto foi nomeado pela revista Time como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo.

Via Ciclo Vivo

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Smarty City Laguna - Primeira "cidade inteligente" do Brasil

A primeira cidade inteligente do Brasil chamada Smarty City Laguna já é uma realidade e um sucesso de vendas. Localizada em Croatá, distrito de São Gonçalo do Amarante no Ceará, obteve no final do ano passado a marca de 2 mil unidades vendidas, cerca de 30% da capacidade total do empreendimento que são 7.065.

A smart city laguna tem como principal objetivo alcançar sustentabilidade, segurança e qualidade de vida, reduzindo os custos de quem mora nela. Ao todo, serão investidos US$ 50 milhões e vai ajudar a suprir o déficit habitacional de uma região apontada por estudos como uma área de grande potencial e desenvolvimento do mundo, onde está inserido o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), e ao mesmo tempo apresentar ao mundo um inédito modelo referencial para novas cidades.

Com todo esse sucesso, somente nos últimos 27 meses, de agosto de 2015 a novembro de 2017, a valorização do preço do metro quadrado do empreendimento cresceu 140,9% e a do lote comercial 218,2%.

Essa valorização se dá graças ao diferencial do produto, já que não é uma simples proposta de loteamento, mas uma infraestrutura de alto padrão a um preço acessível.

Se você quiser saber mais sobre este projeto, acesse o site oficial. Vale o Clique!



Via Engenharia É


quarta-feira, 18 de julho de 2018

Casa de 1940 recebe modernização

O estúdio australiano Porter Architects restaurou uma casa dos anos 1940 no Lago Wendouree, na Austrália, e o resultado foi impressionante. Eles a transformaram em uma casa de família moderna e cheia de luz, com grandes janelas, móveis e acabamentos contemporâneos.

Os arquitetos também tiveram o cuidado de preservar os elementos históricos originais da casa. Como resultado, materiais reciclados e recuperados foram usados ​​durante toda a reforma.

Os antigos proprietários eram duas irmãs que moraram lá por 60 anos e mantiveram registros detalhados de manutenção. Uma manutenção cuidadosa também significou que os painéis originais de madeira e o reboco decorativo foram mantidos em bom estado.

Para combinar com os pisos de madeira existentes na estrutura original, os arquitetos instalaram tábuas de assoalho recicladas na extensão traseira. Para dar ao exterior tradicional de tijolos uma renovação moderna, os arquitetos acrescentaram painéis de madeira e acrescentaram tijolos recuperados da década de 1940 em um padrão contemporâneo. O interior minimalista da extensão apresenta paredes caiadas de branco, painéis de madeira e móveis, além de móveis e acessórios contemporâneos.



Via Engenharia É


quarta-feira, 11 de julho de 2018

Empresa cria um incrível smartphone com 9 lentes

Há uns anos atrás, a primeira câmera num smartphone revolucionou o mercado. Depois, as câmaras foram melhorando, e a Huawei lançou o Huawei P9, o primeiro smartphone com duas câmaras, sendo que mais recentemente chegou o primeiro, e ainda único, smartphone com três lentes, o Huawie P20 Pro.

É verdade que a única forma de melhorar a qualidade fotográfica de forma substancial para se equiparar a câmara DSLR, é necessário mais lentes, mas a Light pode vir a fazer algo, até agora, impensável.

Uma informação divulgada pelo Washington Post, que indica que há uma marca que está desenvolvendo um smartphone com nove lentes. Sim, nove câmeras na área traseira do smartphone. A fabricante é a Light.

A fabricante já tinha surpreendido o mercado, quando lançou a câmera compacta L16, com nove lentes na câmara traseira e que, segundo a fabricante, pretendia combater com as DSLR, mas num formato mais compacto. Com tantas lentes, o resultado final era uma fotografia de 52MP, permitindo configurações pós-fotografia como a focagem e a exposição.

Via Engenharia É

terça-feira, 10 de julho de 2018

DF inaugura prédio para ex-moradores de rua morarem

“O governo faz políticas públicas sem pensar nas pessoas. Enquanto não fizer projetos olhando para quem vem de baixo, para os próprios beneficiados, nada vai dar certo”. A frase é do educador social Rogério Soares – ou Barba, como ficou conhecido durante os vários anos em que morou na rua.

Quatro anos depois de sair das calçadas, ele dedica sua vida a prestar consultoria para órgãos responsáveis por criar e implementar políticas públicas em prol dos sem-teto. E começa a colher os primeiros frutos!

Em parceria com a Codhab (Companhia de Desenvolvimento Habitacional) do Distrito Federal, ele desenvolveu um projeto inédito na região: um prédio construído exclusivamente para abrigar ex-moradores em situação de rua. Por recomendação de Barba, o prédio fica a um quarteirão dos comércios e rotas de ônibus da região e ainda conta com um centro de apoio bem ao lado, que oferece cursos de capacitação e serviços de assistência social. Tudo para dar suporte aos moradores!

Ao todo, o prédio conta com 12 quitinetes que comportam duas pessoas cada. Casais e/ou pessoas solteiras com só um filho, que não possuem nenhuma dependência química, foram o público-alvo do projeto-piloto. O prédio, no entanto, foi propositalmente construído em uma área ainda pouco populosa do Distrito Federal. Assim, se a iniciativa for um sucesso, é possível erguer outros edifícios do tipo no local, dando forma a uma grande comunidade.

A moradia é oferecida gratuitamente aos ex-moradores em situação de rua, que após dez anos residindo no local, já estabilizados, passam a pagar o IPTU da quitinete. Caso queiram se mudar antes, o benefício é automaticamente transferido para outra pessoa que esteja na lista da Codhab. Até o momento, o órgão já mapeou 120 pessoas aptas a receber o benefício que vivem em situação de vulnerabilidade social no Distrito Federal.

Via The Greenest Post

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Lei exige que toda casa construída na Califórnia tenha painéis solares

A cidade de São Francisco, na Califórnia, já exige por lei que todos os prédios novos, nela sediados, instalem painéis solares ou telhado verde. Agora todo o Estado vai além, graças a lei estadual, aprovada pela Comissão de Energia da Califórnia, que prevê que novas residências construídas em território californiano tenham obrigatoriamente painéis solares.

A exigência não deve ser um problema para os moradores, já que nos Estados Unidos vêm se popularizando as telhas solares da Tesla, que são mais acessíveis e eficientes. Ainda assim, atualmente, apenas 15% das novas construções da Califórnia incluem telhas solares em seu projeto. Ou seja, a lei, que começa a valer a partir de 2020 para todas as casas, condomínios e apartamentos de até três andares do Estado, promete fazer grande diferença por lá.

O plano é que o Estado seja repleto de casas que atinjam o estado “net-zero”, quando se consome apenas o que se produz de energia. Mas já tem gente de olho no mercado de smart grid para, eventualmente, vender sua energia excedente para distribuidoras elétricas.

Apesar de elevar o custo das construções em aproximadamente US$ 25 mil – o equivalente a R$ 90 mil –, especialistas garantem: investir em um sistema fotovoltaico na residência garante, em 25 anos, economia de US$ 50 mil – ou seja, o dobro do investido.

Via The Greenest Post

domingo, 8 de julho de 2018

Novo formato JPEG vai permitir armazenar o dobro de fotos

Após vinte e cinco anos de existência, a Joint Photographic Experts Group, mais conhecida como JPEG, anunciou alguns novos formatos que melhor se adaptam às novidades tecnológicas recentes. Um deles é o JPEG XS, uma versão que, de acordo com o anúncio, consome menos rede quando transmite imagens e vídeos por VR, AR, drones, transmissões ao vivo e até por redes 5g e Wi-Fi.

A JPEG anunciou também que está trabalhando no JPEG XL, um formato que, de acordo com a empresa, reduz o tamanho do arquivo em pelo menos 60%, o que significa que, em breve, os usuários poderão armazenar mais do que o dobro de fotos que armazenam atualmente.

Além de liberar alguns gigabytes para a memória do seu celular, o JPEG XL também deve estar capacitado para fazer uso dos padrões de imagem existentes, como transparência, capacidade de animação usando vários quadros e recursos de HDR que ajudam a capturar detalhes claros e sombrios.

Mesmo com essas novidades, o JPEG XL pode não ser o único formato capaz de alcançar tais recursos. Algumas das principais empresas de tecnologia do mundo, como Apple, Microsoft, Mozilla e Netflix estão trabalhando em seus próprios formatos de compressão de imagem e vídeo.

No momento, a JPEG ainda está prospectando parceiros para viabilizar seus projetos. Portanto, a novidade não deve chegar ao público tão cedo.

Via B9

sábado, 7 de julho de 2018

Designer e fotógrafa cria câmera feita de LEGO





Desde que se mudou de Hong Kong para Taiwan, em 2015, a fotógrafa e designer gráfica Helen Sham vem desenvolvendo uma carreira como criadora de personagens feitos de LEGO. Sua mais recente invenção, uma câmera com design inspirado na clássica Hasselblad 503CX, promete conquistar não só as crianças, mas principalmente os adultos fãs de fotografia.
“Criei esta câmera LEGO porque sou fotógrafa e ela é uma das minhas favoritas. Eu adoro sua mecânica manual em particular”, disse Helen, que usou 1.100 peças para construir o objeto, que pesa pouco mais de 900 gramas.

Ela revela, ainda, que precisou de apenas duas horas para criar a máquina, projetada com os mesmos mecanismos internos e externos de uma câmera original. A engrenagem é composta por um espelho, um contador de quadros, um enrolador de filme e um botão de obturador baseado na mola. Ou seja: funciona mesmo!

Via Casa Vogue